Cuidado de si e biopolítica

Saberes e práticas na constituição dos sujeitos contemporâneos

Pensar os processos biopolíticos a partir de um paradigma contemporâneo exige abordar a realidade em nível molecular. Quando os biopoderes operam de forma fragmentária, particularizada, o cuidado de si, com todos seus discursos, práticas e procedimentos tecnocráticos, torna-se um tipo de governo descentralizado da vida humana, permeando todos os âmbitos de nossa experiência em sociedade.

A revista IHU On-Line desta semana aborda o tema central do XVII Simpósio Internacional IHU a ser realizado nos dias 21 a 24 de setembro na Unisinos, em São Leopoldo. Muitos dos que estarão participando do evento contribuem no debate desta edição.

Assim, foram entrevistados os pesquisadores Sandro Chignola, Michael Peters, Dora Lília Marín-Díaz, Edgardo Castro, Benilton Bezerra Junior, Mozart Linhares da Silva, Julio Roberto Groppa Aquino, Carlos Ernesto Noguera-Ramírez, Silvia Grinberg, Luis David Castiel, Alexandre Filordi de Carvalho, Marco Antonio Jiménez García e Ana María Valle Vázquez e Heliana de Barros Conde Rodrigues.