A financeirização da vida

Os processos de subjetivação e a reconfiguração da relação ‘economia e política’

Uma economia globalizada e financeirizada, que se sobrepõe à política e está descolada de critérios éticos em suas transações. Sob esse pano de fundo, bancos são salvos da falência enquanto as pessoas perdem as casas onde vivem porque não têm condições de continuar honrando seus empréstimos. Nações são varridas por crises econômicas brutais, a democracia é tomada como refém das oscilações do mercado e o endividamento como status de inclusão social via consumo são as notas de um réquiem endereçado à política.

A financeirização da vida e os processos de subjetivação que são requeridos e a consequente reconfiguração da relação entre a economia e a política, são o tema da edição desta semana da revista IHU On-Line. Pesquisadores de várias áreas do conhecimento refletem sobre este fenômeno da vida contemporânea.

Contribuem para o debate Yann Moulier Boutang, Maurizio Lazzarato, Massimo Amato, Stefano Zamagni, Giuseppe Cocco, Rodrigo Karmy, Sandro Luiz Bazzanella, Adriano Correia Albert Ogien.