Terceirização e a acumulação flexível

A radicalização da flexibilidade estrutural do mundo do trabalho

A aprovação do Projeto de Lei 4330, pela Câmara dos Deputados, na primeira quinzena de março de 2015, que radicaliza a possibilidade da terceirização do trabalho inclusive na atividade-fim das empresas e seu impacto no mundo do trabalho é o tema em debate na edição da IHU On-Line desta semana em que se celebra o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora. A radicalização da flexibilização da legislação trabalhista, em última medida, torna possível a ideia da “corporação de um homem só”, afirmam pesquisadores e pesquisadoras, de diversas áreas do conhecimento, que participam da discussão.

Contribuem com o debate Giovanni Alves, Graça Druck, Rodrigo Castelo, Vitor Filgueiras, Ricardo Antunes, André Cremonesi e Ruy Braga.