Destaques On-Line

Entrevistas publicadas entre os dias 24-08-2015 e 28-05-2015 no sítio do IHU

Por: Redação

Crise econômica é reflexo da crise do Estado brasileiro

Entrevista com Reinaldo Gonçalves, economista, mestre em Economia pela Fundação Getulio Vargas – FGV-RJ e doutor em Letters and Social Sciences pela University of Reading, na Inglaterra.

Publicada em 27-08-2015

As causas centrais da crise econômica brasileira não estão relacionadas à “queda da receita tributária”, mas à “rigidez, má alocação e desperdício nos gastos (inclusive, o serviço da dívida pública)”, diz Reinaldo Gonçalves à IHU On-Line, na entrevista que segue, concedida por e-mail. Ao comentar a atual conjuntura, o economista frisa que “a questão política relevante” a ser levada em conta é a crise de legitimidade do Estado brasileiro. “Há alguns anos, estamos atolados em uma séria crise de legitimidade do Estado (descrença na capacidade do governo Dilma de resolver os problemas de curto, médio e longo prazos). Da mesma forma que os protestos populares de 2013, os atuais protestos decorrem, em grande medida, dessa crise”, avalia.

 

O desenvolvimento e o fim da cosmovisão indígena

Entrevista com Bruno Caporrino, antropólogo, formado em Ciências Sociais pela.

Publicada em 26-08-2015.

“Como viver em terras demarcadas, já que o entorno pode ser ameaçado, e suas populações podem vir a crescer, além do fato de que há inúmeras pressões para que abandonem sua língua e cosmovisão?”, questiona Bruno Caporrino, ao analisar a situação de indígenas que vivem em terras demarcadas na floresta amazônica, mas que têm suas vidas modificadas por conta da urbanização, do desenvolvimento e da imposição cultural.

 

Desmatamento das Unidades de Conservação ameaça serviços ecossistêmicos

Entrevista com Elis Araújo, advogada e especialista em Bioestatística pela Universidade Federal do Pará - UFPA.

Publicada em 25-08-2015.

Apesar de o Brasil ter assumido o compromisso de reduzir as taxas de desmatamento no país, somente entre 2012 e 2014 a Amazônia “perdeu 1,5 milhão de hectares de florestas e cerca de 10% desse total ocorreu dentro de Unidades de Conservação – UCs”, informa Elis Araújo à IHU On-Line. Os dados compõem o resultado do estudo realizado pelo Imazon, intitulado “50 Áreas Protegidas críticas em desmatamento na Amazônia”. Segundo Elis, as 50 UCs que apresentam estado mais crítico “respondem por 96% do desmatamento ocorrido dentro de UCs nesse período e estão localizadas em oito estados da Amazônia Legal”, sendo as dos estados do Pará e de Rondônia as que possuem um percentual mais elevado de desmatamento.

 

Estudos epidemiológicos apontam relação entre consumo de agrotóxicos e câncer

Entrevista com Karen Friedrich, graduada em Biomedicina pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, mestre e doutorado em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz.

Publicada em 24-08-2015.

Quando o assunto é agrotóxico e saúde, a discussão tem de ser feita a partir da perspectiva da “prevenção para evitar que um dano à saúde se estabeleça”, diz Karen Friedrich à IHU On-Line. Além da prevenção, frisa, “seria importante incentivar iniciativas como o incentivo às práticas agroecológicas”, já que o Brasil é considerado o campeão de uso de agrotóxicos há sete anos. Na entrevista a seguir, concedida por telefone, Karen explica que alguns fatores contribuem para que agrotóxicos já banidos em outros países continuem sendo utilizados nas lavouras brasileiras. Entre eles, ela menciona a forma como esses produtos são analisados no Brasil, individualmente, sem considerar que durante a aplicação nas lavouras há um uso combinado de vários tipos de agrotóxicos.

Comentários

Deixe seu comentário

Digite seu comentário (obrigatório):
Nome (obrigatório): Email (não será publicado): Website (opcional):
Digite o código de verificação:
Click to refresh image