Edição 337 | 09 Agosto 2010

Diálogo cultural e inter-religioso, fundamentos para construir a justiça e a paz

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Graziela Wolfart

 

IHU On-Line - Em que sentido o trabalho dos jesuítas em relação ao diálogo cultural e inter-religioso contribui para a melhoria da sociedade colombiana?

Mauricio García Durán - Na medida em que a sociedade colombiana é uma sociedade pluriétnica e pluricultural, com uma diversidade religiosa cada dia mais crescente, o diálogo cultural e inter-religioso é uma dimensão importante em qualquer trabalho social que busque fazer frente às injustiças, exclusões e divisões que se apresentem em nossa sociedade. Não é possível construir justiça e paz em nossa sociedade sem passar por processos profundos de diálogo intercultural e inter-religioso.

IHU On-Line - Como o senhor caracteriza a realidade da sociedade colombiana hoje?

Mauricio García Durán - É uma realidade complexa, marcada por grandes injustiças e exclusões, mas, ao mesmo tempo, com grandes capacidades no seu interior, dadas as numerosas iniciativas sociais e os processos de organização social existentes no país. Hoje em dia, a realidade de um conflito armado prolongado continua marcando a situação de nossa sociedade e nos apresenta grandes desafios para poder avançar na construção de uma sociedade que defenda a dignidade de todos seus habitantes, uma sociedade justa e democrática, uma sociedade com uma paz sustentável e duradoura. Estes desafios se vêem multiplicados, mas também potencializados em suas possibilidades de resposta, na medida em que enfrentamos um crescente processo de globalização, que nos interconecta com os países vizinhos e a nível mundial.

IHU On-Line - Como o senhor avalia que os jesuítas entendem a relação entre fé e justiça?

Mauricio García Durán - Creio que nós, jesuítas, em termos gerais, temos avançado em uma compreensão muito mais integral e articulada de ambas as dimensões, superando tensões que se viveram no passado em torno de tal compreensão. Hoje somos conscientes de que não é possível manifestar-se crente no Pai de nosso Senhor Jesus Cristo sem encarnamos sua opção pelos pobres e sem promovermos a justiça como algo intrinsecamente derivado de nossa opção de fé. Seguir a Jesus Ressuscitado, pela força do Espírito Santo, pede fazer nossa a justiça que define a realidade do Reino de Deus.

Últimas edições

  • Edição 551

    Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

    Ver edição
  • Edição 550

    Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

    Ver edição
  • Edição 549

    Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

    Ver edição