Edição 213 | 26 Março 2007

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

América Latina em Movimento

Algo se move na América Latina. Quem o ignora? Como entender e interpretar o que está acontecendo?

Nesta edição, procurando entender melhor o que ocorre neste continente, entrevistamos Luiz Eduardo Wanderley, sociólogo e ex-reitor da PUC-SP, José Comblin, teólogo e um dos maiores conhecedores do continente; Edson Antoni, pesquisador dos movimentos sociais latino-americanos, especialmente o EZLN e o MST; James Petras, sociólogo, sempre polêmico nas suas reflexões; Cláudia Wasserman, historiadora; e Horácio Verbitsky, jornalista argentino que se tornou uma referência nos estudos sobre a duríssima ditadura militar que, precisamente, há 31 anos se instalou na Argentina. Assim, temos algumas notas, ainda esparsas, que podem contribuir para que, numa futura edição, possamos dar conta do que se passa nesta nossa América. A constatação da Prof.ª Cláudia Wasserman, da UFRGS, nos desafia: “Os intelectuais latino-americanos não têm conseguido dar respostas aos problemas atuais e nem interpretar o que vem ocorrendo”. Aceitamos o desafio e voltaremos ao tema.

A exibição da “Trilogia das cores”, de Krizstof Kieslowski, o ciclo Jesus no Cinema – realizado em Porto Alegre –, a exposição de fotos de Sebastião Salgado, Êxodos, e dos belos ícones de Maria Cecília Anawate, além da apresentação de corais, dentro da programação tendo em vista a celebração da Páscoa, constituem, nesta semana, um momento de alta densidade artístico-místico-espiritual no IHU. Nos dias 29, 30 e 31 de março, teremos as audições comentadas do Credo das Missas BWV 232, de J. S. Bach, e K 427, de W. A. Mozart; do Himmelfarhtsoratorium (Oratório da Ascensão) BW 11, de J. S.Bach; e de Die sieben letzten Worte unseres Erlösers am Kreuze (As sete últimas palavras de nosso Redentor na cruz), de J. Haydn, da Krönungsmesse (Missa da Coroação) K 317, de W. A. Mozart, e, em Porto Alegre, da Paixão de Cristo segundo São João – BWV 245, de J. S. Bach. As audições comentadas estarão sob a coordenação competente e ungida da Prof.ª Dr.ª Yara Caznok, da UNESP.

Ana Formoso, teóloga, escreve, neste tempo de solidariedade com quem faz teologia na nossa América e é duramente censurado, o belo artigo “A hermenêutica da ressurreição em Jon Sobrino”.

A todas e todos uma ótima semana e uma excelente leitura!

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição