Edição 540 | 02 Setembro 2019

Destaques On-Line

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Confira algumas entrevistas publicadas no sítio do Instituto Humanitas Unisinos - IHU nas últimas semanas.

A racionalidade armada da Guardiões do Estado - GDE e a guerra das facções em Fortaleza

A expansão das facções do Sudeste, como o Primeiro Comando da Capital - PCC e o Comando Vermelho - CV, para os estados do Norte e Nordeste, gerou um fenômeno recorrente: o surgimento de novas facções locais e o acirramento dos conflitos, diz a antropóloga Jania Aquino, que estudou a guerra das facções no estado do Ceará entre 2013 e 2018.

Jania Aquino é doutora em Antropologia Social pela USP. Atualmente leciona no Departamento de Ciências Sociais da UFC.

****

Lei da Anistia, 40 anos depois, sofre riscos de retrocessos


José Carlos Moreira da Silva Filho resgata a história da Lei da Anistia e reflete sobre a sua atualidade depois do trabalho feito pela Comissão Nacional da Verdade. “Me coloco entre aqueles que veem na rememoração da anistia brasileira e na discussão dela não um tema do passado, mas um tema atual, adiado por muito tempo, e que está sofrendo riscos de retrocessos no cenário que vivemos”.

José Carlos Moreira da Silva Filho é doutor em Direito das Relações Sociais pela UFPR, professor na Faculdade de Direito da PUCRS e coordenador do Grupo de Estudos CNPq Direito à Verdade e à Memória e Justiça de Transição.
****

Da fabricação do medo ao voto de cabresto: estratégias das milícias no avanço sobre o Estado

“As milícias já assumiram uma força política no Estado. Eu não diria que a milícia vai controlar o Estado; ela já controla. A morte de Marielle [Franco] é um exemplo claro de como eles já controlam o Estado”, dispara Ana Paula Mendes de Miranda. É por isso que ela não se diz surpresa com o sucesso de determinados políticos dada a proximidade deles com os milicianos.

Ana Paula Mendes de Miranda é doutora em Antropologia Social pela USP. Atualmente, é professora associada do Departamento de Antropologia e da UFF.

****

Reforma da previdência: “A questão central é: queremos proteger nossos idosos, nossos pensionistas, os necessitados?”

A proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro “desorganiza o sistema previdenciário brasileiro tal como ele foi pensado a partir da Constituição de 88”, diz o economista Denis Maracci Gimenez.

Denis Maracci Gimenez é doutor em Desenvolvimento Econômico. Atualmente é diretor do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho - Cesit/Unicamp e professor do Instituto de Economia da Unicamp.

****

Os desafios de uma discussão interdisciplinar sobre ética e saúde no Brasil. O legado de Leo Pessini

Em memória a Leo Pessini, ex-superior geral da Ordem dos Clérigos Regulares Ministros dos Enfermos - Camilianos e um dos principais expoentes na discussão sobre bioética no Brasil, a IHU On-Line publica uma entrevista com pesquisadores que analisam seu legado para a discussão interdisciplinar entre ética e saúde. Leo Pessini faleceu no dia 24-7-2019, em São Paulo.

Os entrevistados são Christian de Paul de Barchifontaine, Márcio Fabri dos Anjos, José Roque Junges, Volnei Garrafa, José Roberto Goldim e José Eduardo de Siqueira.

Últimas edições

  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição
  • Edição 543

    Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

    Ver edição
  • Edição 542

    Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

    Ver edição