Edição | 29 Abril 2019

Franciscus Non Cantat: um discurso, alguns percursos e ressonâncias acerca da música litúrgica pós-conciliar

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

O Cadernos Teologia Pública, na sua edição de número 141, traz o artigo de Márcio Antônio de Almeida, intitulado “Franciscus Non Cantat: um discurso, alguns percursos e ressonâncias acerca da música litúrgica pós-conciliar”. “O Congresso Música e Igreja: culto e cultura aos 50 anos da Musicam Sacram, ocorrido em Roma, de 2 a 4 de março de 2017, reuniu argumentos acerca da música sacra, no âmbito pós-conciliar. Entre as convergências, reproduções e dissensos de implementação, o Congresso representou um espaço oficial de partilha de modos de conceber a música em chave eclesial. Ocorrido durante o pontificado de Francisco, em comemoração aos 50 anos da aprovação da Instrução Musicam Sacram, esperava-se que, de modo representativo, diferentes vozes do culto e da cultura dessem conta de relatar as construções próprias no âmbito da música sacra em diferentes contextos”, observa o autor.

 

Márcio Antônio de Almeida é doutor em Música pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual paulista - Unesp. Também é membro da presidência do International Study Group for Liturgical Music (Universa Laus), do Centro de Liturgia Dom Clemente Isnard, da Equipe de Reflexão de Música Litúrgica da CNBB. Atua como professor de pós-graduação lato sensu e no ensino básico, regente do Coral do Hospital Santa Catarina e do Coral da Associação de Advogados de São Paulo.

Acesse aqui a versão completa deste Cadernos Teologia Pública.

Estas e outras edições dos Cadernos Teologia Pública também podem ser obtidas diretamente no Instituto Humanitas Unisinos - IHU, no campus São Leopoldo da Unisinos (Av. Unisinos, 950), ou solicitadas pelo endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Informações pelo telefone (51) 3590-8213.

Últimas edições

  • Edição 537

    A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

    Ver edição
  • Edição 536

    Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

    Ver edição
  • Edição 535

    No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

    Ver edição