Edição 517 | 18 Dezembro 2017

Machado de Assis

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839 e morreu na mesma cidade, em 29 de setembro de 1908. Apontado por críticos e pesquisadores como o maior escritor brasileiro. Sua obra compreende diversos gêneros literários, incluindo romance, conto, poesia, crônica, dramaturgia, folhetim e crítica literária.

Foto: Wikipédia

A escravatura no Brasil foi abolida formalmente em 1888, quando Machado já tinha quase 50 anos. Filho de mãe branca e pai negro, seus avós paternos eram alforriados. Também testemunhou a substituição do Império pela República. Foi grande comentador dos eventos político-sociais de sua época.

De família pobre, teve uma precária educação formal. Sua ascensão social resultou de seu intelecto superior, de sua intensa capacidade produtiva e dos laços fraternos, sendo protegido inclusive do imperador dom Pedro II. Assumiu diversos cargos públicos e conquistou notoriedade nos jornais onde publicava poesias e crônicas. Em 1897, foi um dos fundadores e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras.

Machado de Assis é considerado o introdutor do Realismo no Brasil, com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, em 1881. Seus outros romances são Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Helena (1876), Iaiá Garcia (1878), Casa velha (1885), Quincas Borba (1891), Dom Casmurro (1899), Esaú e Jacó (1904) e Memorial de Aires (1908). Alcançou prestígio e notoriedade em vida, e sua importância e reconhecimento não pararam de crescer depois da sua morte, sendo tema de muitas pesquisas.

Últimas edições

  • Edição 517

    O Brasil na potência criadora dos negros – O necessário reconhecimento da memória afrodescendente

    Ver edição
  • Edição 516

    Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

    Ver edição
  • Edição 515

    Renúncia suprema. O suicídio em debate

    Ver edição