Edição 510 | 04 Setembro 2017

Destaques On-Line

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

A subordinação da esquerda brasileira ao neoliberalismo e o abandono da Teoria da Dependência

“Teorias da Dependência surgiram como crítica às teses nacionais-desenvolvimentistas que apontavam que, com a industrialização, Brasil e América Latina superariam seus problemas de subdesenvolvimento, desemprego, instabilidade política e falta de autonomia, criando formações sociais com soberania tecnológica.”

Carlos Eduardo Martins, graduado em Sociologia e Política pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUCRJ, mestre em Administração pela Fundação Getúlio Vargas - RJ e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo - USP.

*********

A chaga da miséria volta a rondar o Brasil. Hoje, a situação brasileira é dramática

“9,2% de famílias tinham o rendimento per capita inferior a um quarto de salário mínimo, um dos indicadores de medição da fome. Em 2014, essa proporção era de 7,9%, o que corresponde a um aumento de 16% em apenas um ano.”

Nathalie Beghin, economista formada pela Université Libre de Bruxelles - ULB, mestra e doutora em Políticas Sociais pela Universidade de Brasília - UnB.

*********

Estamos caminhando para o desaparecimento irreversível das florestas

“A taxa de desmatamento no primeiro decênio deste século foi 62% maior que no último decênio do século passado, e desde 2011 constata-se uma aceleração dessa aceleração, sobretudo na Ásia e na Oceania.”

Luiz Marques, graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em História da Arte pela École des Hautes Études en Sciences Sociales - EHESS.

*********
Revolução 4.0 e o risco de uma transição traumática

“Até as últimas revoluções o mundo teve tempo de se adaptar e as transições foram menos traumáticas. Nessa, pela velocidade, talvez a transição seja mais traumática e não permita a adaptação de muitas pessoas, aumentando o distanciamento cultural, financeiro e intelectual entre elas.”

Eduardo Mario Dias, doutor, mestre e graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo - USP, e Vidal Melo, graduado em Engenharia de Produção Mecânica pelo Instituto Mauá de Tecnologia, pela Escola de Engenharia Mauá e doutor em automação pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo - USP.

*********
Programa Cisternas: um exemplo de política pública que teve origem na sociedade civil e que não pode ser interrompido

“Nosso grande diferencial foi propor uma tecnologia simples, barata e familiar e que, para o contexto dessas famílias do Semiárido, é uma tecnologia de ponta, efetiva, que realmente resolve o problema de abastecimento de água para o consumo humano.”

Valquíria Lima, integrante da coordenação executiva da ASA pelo estado de Minas Gerais.

Últimas edições

  • Edição 510

    Pra onde ir - A crise do Rio Grande do Sul vai além da questão econômica

    Ver edição
  • Edição 509

    Henry David Thoreau - A desobediência civil como forma de vida

    Ver edição
  • Edição 508

    Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

    Ver edição