Edição 504 | 08 Maio 2017

Destaques On-Line

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

"A Lava Jato nos deixará a herança de um judiciário incontrolável"

“Na verdade, o que parece é que o tribunal não quer que determinadas informações venham à tona. Se se trata de uma delação, a pessoa deveria dizer tudo o que ela sabe. Diante dessas ‘solturas’, nos perguntamos qual é o critério para que ocorram, porque fica sempre a dúvida.”

Cândido Grzybowski, doutor em Sociologia pela Sorbone, Paris, e diretor geral do Ibase de 2000 a 2014


Os feminismos e suas disputas

“O Brasil é o país onde mais ocorrem assassinatos de travestis e transexuais em todo o mundo. De janeiro de 2008 a abril de 2013 foram 486 mortes. Em 2013 foram 121 casos de travestis e transexuais assassinados em todo o Brasil.”

Berenice Bento, doutora em Sociologia pela Universidade de Brasília – UnB e professora na Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN

A instrumentalização do sistema energético brasileiro e a transformação dos políticos em capitães-do-mato

“Há setores da economia que não são concorrenciais, que são aqueles em que a natureza provê as bases materiais para a produção de bens e insumos, cujo custo de produção é geralmente 10% do seu valor de mercado, como é o caso do setor de petróleo, do setor de minérios, e os potenciais hidráulicos.”

Ildo Sauer, doutor em Engenharia Nuclear pelo Massachusetts Institute of Technology. Atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo – USP

Movimentos tradicionais, autonomistas e um novo ciclo de lutas no Brasil

A crise petista transformou a esquerda em um “lugar de muita melancolia”, que produz uma “fixação” por “Bolsonaros”, ao invés de criar “afetos mais potentes para continuar caminhando, pensando novas possibilidades, criando brechas”.

Alana Moraes, mestra em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ

A nova classe trabalhadora, seu imaginário e a reprodução de valores liberais

Os partidos e parte da intelectualidade gostam de tentar colocar as pessoas em ‘caixinhas’ ou trabalhar com categorias totalizantes: direita X esquerda; coxinha X mortadela. Essas categorias não fazem sentido no imaginário desta população

Jordana Dias Pereira, graduada em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp

Últimas edições

  • Edição 505

    Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

    Ver edição
  • Edição 504

    Pier Paolo Pasolini Um trágico moderno e sua nostalgia do sagrado

    Ver edição
  • Edição 503

    A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho

    Ver edição