Edição 481 | 21 Março 2016

O Vaticano II e a inserção de categorias históricas na teologia

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

A edição 107 do Cadernos Teologia Pública, intitulada O Vaticano II e a inserção de categorias históricas na teologia, traz o artigo de Antonio Manzatto, doutor em Teologia pela Universidade Católica da Lovaina, Bélgica, e professor de Teologia na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP

 É consenso dizer que o Concílio Vaticano II provocou certa revolução no modo de ser eclesial porque, seguindo a intuição de João XXIII, realizou autêntica atualização da Igreja fazendo-a inserir-se na contemporaneidade. Esta atualização, é sabido, não é fruto do acaso, mas foi preparada por diversos movimentos que já se faziam sentir na Igreja desde o início do século XX, como o movimento ecumênico, o movimento litúrgico, etc. 

No terreno da teologia, sua evolução e atualização acontece por conta da inserção de categorias históricas no desenvolvimento da elaboração teológica, tal como realizada pela Nouvelle Théologie e outros movimentos similares. Sabe-se, por outro lado, da dificuldade de diálogo com a modernidade que a teologia nascida da cristandade teve, e uma das razões maiores para isso foi manter seu pensamento marcado por categorias essencialistas. O presente artigo destaca a introdução de categorias históricas no pensamento eclesial e a ela filia tanto a atualização teológica conciliar como as teologias subsequentes, sobretudo as contextuais.

 

Confira a íntegra do Caderno.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição