Edição 477 | 16 Novembro 2015

Biopoder e a constituição étnico-racial das populações. Racialismo, eugenia e a gestão biopolítica da mestiçagem no Brasil

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

Cadernos IHU ideias, em sua 230ª edição, publica o artigo Biopoder e a constituição étnico-racial das populações. Racialismo, eugenia e a gestão biopolítica da mestiçagem no Brasil, de Gustavo da Silva Kern doutorando pela Univerisidade do Rio Grande do Sul - UFRGS e docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - IFSC

O presente trabalho apresenta uma incursão teórica e empírica acerca do biopoder e sua atuação sobre a constituição étnico-racial da população brasileira. Partindo de uma discussão em torno da acepção que Michel Foucault conferiu ao conceito de biopoder e avançando sobre sua análise em torno do “racismo de Estado”, passo à abordagem dos discursos racialistas e eugenistas produzidos em nosso país entre as últimas décadas do século XIX e as primeiras décadas do século XX. Ao problematizar as teorizações em torno do branqueamento da população brasileira, procuro compreender o que Antonio Negri e Giuseppe Cocco chamaram de gestão biopolítica da mestiçagem no Brasil.

 

A versão digital está disponível.

 

Esta e outras edições dos Cadernos IHU ideias podem ser adquiridas diretamente no Instituto Humanitas Unisinos - IHU ou solicitadas pelo endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição