Edição 474 | 05 Outubro 2015

A grande beleza

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Ricardo Machado | Tradução Walter O. Schlupp

Carlo Rovelli, físico italiano, retoma a física quântica para pensar e explicar a complexidade do universo

O físico e o artista trilham caminhos diferentes, mas rumam para o mesmo lado: a grande beleza. No fundo, parece ser o belo que nos leva a construir uma ética que possa ser compatível com o nosso espaço-tempo. Pensar os fenômenos da física é pensar o ser humano. “Acho que os ensinamentos mais importantes da física são (1) que não devemos acreditar muito na intuição direta: devemos estar prontos para mudar a mente, e (2) não devemos acreditar no que as gerações anteriores pensavam: elas sabiam muito pouco, menos ainda do que nós”, sustenta o professor e pesquisador Carlo Rovelli, em entrevista por e-mail à IHU On-Line.

Rovelli considera a Teoria da Relatividade a mais bela das teorias. “Em primeiro lugar, porque é uma ideia muito simples (espaço e tempo se curvam). Em segundo lugar, porque previu uma longa lista de fenômenos incríveis (buracos negros, big bang, as ondas de espaço-tempo, retardamento do tempo...), os quais todos se confirmaram depois”, avalia. “A Teoria da Relatividade nos deu um entendimento diferente da natureza do espaço e do tempo. Espaço e tempo agora são entendidos como aspectos de um campo dinâmico, uma espécie de enorme água-viva em movimento na qual estamos imersos”, complementa.

Carlo Rovelli é doutor em Física pela universidade de Pádua. Atualmente é professor no Centro de Física Teórica da Universidade de Marseille, na França, e diretor do grupo de pesquisa em gravidade quântica do Centro de Física Teórica de Luminy. Escreveu inúmeros livros, dos quais destacamos Covariant Loop Quantum Gravity. An Elementary Introduction to Quantum Gravity and Spinfoam Theory (Cambridge: Cambrige University Press, 2014); Sette brevi lezioni di fisica (Roma: Adelphi, 2014) e La realtà non è come ci appare. La struttura elementare delle cose (Milano: Cortina Raffaello, 2014). Em português pode ser lido o seu livro Anaximandro de Mileto - o Nascimento do Pensamento Científico (São Paulo: Edições Loyola, 2009).

Confira a entrevista. 

 

IHU On-Line – De que forma a Teoria da Relatividade transformou o nosso modo de ver e compreender o universo?

Carlo Rovelli - De duas formas. Primeiro, ela nos deu um entendimento diferente da natureza do espaço e do tempo. Espaço e tempo agora são entendidos como aspectos de um campo dinâmico, uma espécie de enorme água-viva em movimento na qual estamos imersos. Em segundo lugar e, diria eu, mais importante, a teoria nos lembrou de que a realidade é muito diferente da nossa ingênua visão que temos dela.

 

IHU On-Line – Quais são as principais diferenças entre a Teoria da Relatividade Restrita e a Teoria da Relatividade Geral?

Carlo Rovelli - Einstein  escreveu duas teorias: a teoria da relatividade especial [ou restrita], em 1905, e a teoria da relatividade geral, em 1915. A primeira esclarece o fato de que há uma velocidade-limite: a velocidade da luz. A segunda é uma teoria da gravitação e esclarece o fato de que espaço e tempo podem dobrar-se e curvar-se.

 

IHU On-Line – Como a Teoria da Relatividade se tornou a mais bela das teorias?

Carlo Rovelli - Em primeiro lugar, porque é uma ideia muito simples (espaço e tempo se curvam). Em segundo lugar, porque previu uma longa lista de fenômenos incríveis (buracos negros, big bang,  as ondas de espaço-tempo, retardamento do tempo...), os quais todos se confirmaram depois.

 

IHU On-Line – Do que trata a mecânica quântica? Como ela ajuda a compreender os fenômenos contemporâneos?

Carlo Rovelli - A mecânica quântica é, atualmente, a melhor teoria disponível para se descrever como tudo se move. Sem ela não seríamos capazes de compreender e lidar com átomos, com eletrônica, com a física nuclear, com lasers.

 

IHU On-Line – Qual a importância dos estudos de Max Planck  com sua Teoria Quântica, que revolucionou a física?

Carlo Rovelli - Max Planck realmente não entendeu o que ele estava fazendo em 1900, ao escrever as primeiras equações sobre os "quanta"; mas ele abriu o caminho.

 

IHU On-Line – Como esses estudos ajudaram a compreender as propriedades da luz?

Carlo Rovelli - Muitos fenômenos relativos à luz, como, por exemplo, as células fotoelétricas que usamos para abrir as portas automaticamente, seriam completamente inexplicáveis sem a mecânica quântica.

 

IHU On-Line – Como Niels Bohr  nos ajuda a compreender que a realidade somente existe por meio da interação? A partir da Física, o que isso significa?

Carlo Rovelli - Bohr foi o primeiro a entender que, quando observamos um fenômeno físico, somos obrigados a interagir com ele. Se o fenômeno é graúdo (tipo uma pedra), essa interação não o altera. Mas, para fenômenos minúsculos (como um átomo), ela o faz. Portanto, não há maneira de observar um átomo sem perturbá-lo um pouco.

 

IHU On-Line – O que são partículas subatômicas e como elas ajudam a entender a realidade?

Carlo Rovelli - Toda a matéria que nos cerca é feita dessas partículas. Mas essas partículas não são tipo "pedrinhas". São estranhos objetos quânticos que saltam de um lugar para outro.

 

IHU On-Line – Qual a contribuição da confirmação do Bóson de Higgs  para os estudos da física?

Carlo Rovelli - Ela confirma que está correta a teoria das partículas elementares desenvolvida na década de 1970.

 

IHU On-Line – Do que trata a gravidade quântica? Quais são os desafios da física para explicá-la melhor?

Carlo Rovelli - É o problema de se compreender o comportamento quântico do próprio espaço-tempo. Espaço-tempo é como uma imensa água-viva. Mas é também um objeto quântico. Ou seja, ela é feita de pequenos "quanta", como é a luz. A gravidade quântica procura entender isso.

 

IHU On-Line – No que a teoria da gravidade quântica pode contribuir para os estudos da física? O que ela inaugura de novo?

Carlo Rovelli - Repito: Ela muda nossa descrição do que são espaço, tempo e matéria e lembra-nos de que a natureza é muito diferente da nossa ingênua intuição sobre ela.

 

IHU On-Line – Como a física ajuda a compreender o ser humano? De que maneira reproduzimos a lógica do universo — ao mesmo tempo, complexos e integrados?

Carlo Rovelli - Acho que os ensinamentos mais importantes da física são (1) que não devemos acreditar muito na intuição direta: devemos estar prontos para mudar a mente, e (2) não devemos acreditar no que as gerações anteriores pensavam: elas sabiam muito pouco, menos ainda do que nós. 

 

IHU On-Line – Qual a grande beleza da natureza?

Carlo Rovelli - Ah, penso que todo mundo acha maravilhosos aspectos diversos na natureza. Para mim, surpreendente e encantadora é sua variedade. ■

 

Leia mais...

- A teoria da "curiosidade geral" de Einstein. Artigo de Carlo Rovelli publicado nas Notícias do Dia, de 27-07-2015, no sítio do IHU;

- As cinco principais descobertas de Einstein que mudaram a nossa visão do mundo. Artigo de Carlo Rovelli publicado nas Notícias do Dia, de 27-07-2015, no sítio do IHU;

- A realidade não é como parece: a evolução da física. Resenha sobre o livro de Carlo Rovelli, La realtà non è come appare. La struttura elementare delle cose publicada nas Notícias do Dia, de 15-04-2015, no sítio do IHU;

- "Ciência e fé devem permanecer separadas." Entrevista com Carlo Rovelli reproduzida nas Notícias do Dia, de 03-11-2014, no sítio do IHU.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição