Edição 473 | 28 Setembro 2015

Linha do Tempo

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

A IHU On-Line apresenta seis notícias publicadas no sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, entre os dias 21-09-2015 e 25-09-2015, relacionadas a assuntos que tiveram repercussão ao longo da semana.

Em discurso ao Congresso dos EUA, papa lança apelo progressista 

O Papa Francisco pode não ser um esquerdista, como ele reafirmou no seu voo de Havana aos Estados Unidos na terça-feira, mas o seu discurso a uma sessão conjunta do Congresso nesta quinta-feira, 24-09-2015, não vai acalmar os seus críticos conservadores. O papa reiterou vários temas-chave do seu papado diante de parlamentares norte-americanos, incluindo apelos a políticas mais humanas em relação aos imigrantes, a abolição da pena de morte, a que se deem passos para coibir os abusos ambientais, condenou a indústria de armas e convidou a um compromisso de combater a pobreza global. Ao mesmo tempo, ele também lamentou o que chamou de ameaças à família, incluindo a falta de oportunidade para os jovens. A reportagem é de Michael O'Loughlin, publicada no sítio Crux, 24-09-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

 

Estatuto da Família, que retira direitos da união gay, avança na Câmara 

Entre protestos e discussões, o Estatuto da Família foi aprovado por uma comissão especial de deputados na Câmara na tarde de quinta-feira, 24-09-2015. O texto define como família apenas a união entre homem e mulher, o que exclui a união homoafetiva de direitos como herança, guarda dos filhos e a inclusão do(a) parceiro(a) em planos de saúde, dentre outros direitos. O próximo passo agora será a votação de quatro destaques (pontos mais sensíveis do texto) que não foram votados por falta de tempo. Como a proposta tramita em comissão especial em caráter terminativo, ela, quando terminada, poderia ir direto ao Senado, sem precisar passar pela votação na Câmara. Mas os deputados prometem fazer o possível para barrar esse projeto ou adiar a sua votação. A reportagem é de Marina Rossi, publicada por El País em 24-09-2015.

 

"Os Estados não nos querem", afirmam Guarani de quatro países

O sentimento expresso pelos Guarani no segundo dia do IV Encontro Continental é uma constatação de que não há espaço para esse povo nos Estados Nacionais. Os Estados os tratam como estrangeiros, desconsiderando sua territorialidade que é anterior às existências dos respectivos Estados, reconhecida nas leis nacionais e internacionais, mas não aplicada nas políticas públicas. O evento, que acontece no tekoha Ka’akupe, município de Ruiz de Montoya, província de Missiones, na Argentina, reúne centenas de Guarani da Bolívia, Brasil, Paraguai e Argentina. A reportagem é de Clóvis Brighenti, publicada por Cimi Sul em 23-09-2015. Essa constatação do não lugar para os Guarani nos Estados Nacionais se expressa nos inúmeros casos de assassinatos que estão ocorrendo, especialmente no Mato Grosso do Sul; no não reconhecimento das terras e na invasão de seus territórios por petroleiras, hidrelétricas, estradas e inúmeros outros projetos do chamado desenvolvimento.

 

A menina que enfrenta o sistema de segurança e pede ao Papa pelos imigrantes ilegais nos EUA

Sophie Cruz, uma menina oaxaquenha (México), de cinco anos de idade, abraçou e beijou o Papa Francisco, a quem pediu para interceder pela legalização dos milhões de indocumentados nos Estados Unidos. No percurso que o Papa Francisco fez nesta quinta-feira, 24-09-2015, pelas ruas de Washington, a menina, que fala dois idiomas e um dialeto, conseguiu entregar-lhe uma carta e uma camiseta. Na carta pede ao Papa que interceda pela legalização de 11 milhões de indocumentados que se encontram nesta situação neste país. Na cena, muito emotiva, a menina, vestida com um traje típico oaxaquenho multicolorido, em princípio e diante das barreiras tentou caminhar em direção ao papamóvel, mas um guarda de segurança impediu sua passagem. O olhar de seu pai e os braços abertos do papa forçaram o guarda a mudar de ideia. A reportagem é publicada por Religión Digital, 24-09-2015. A tradução é de André Langer.

 

Governo e FARC dão passo decisivo no processo de paz na Colômbia

A paz, sob a qual gerações de colombianos sonham viver há mais de 50 anos, está se tornando cada vez menos utópica. O Governo e a guerrilha das FARC deram esta quarta-feira, 23-09-2015, um passo crucial para a consolidação das negociações iniciadas há quase três anos para pôr fim a um conflito que provocou mais de 220.000 mortes e deixou sete milhões de vítimas. O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e o líder da guerrilha, Timoleón Jiménez, ou Timochenko, na presença do mandatário anfitrião, Raúl Castro, anunciaram a criação de um mecanismo judicial que julgará todos os atores do conflito. Além disso, o presidente da Colômbia e o líder da guerrilha deram um prazo de seis meses para a assinatura definitiva do acordo de paz. A reportagem é de Javier Lafuente, publicada por El País em 23-09-2015.

 

O que o Papa deixa em Cuba e o que busca nos EUA

O ‘missionário da misericórdia’ se despede de Cuba e se põe a caminho dos EUA o ‘missionário do amor’ (love is our  mission). Uma viagem encadeada que manifesta uma das características essenciais do Sumo Pontífice, a criação de pontes de diálogo e de reconciliação. Francisco encerra a primeira etapa e a mais fácil da sua viagem americana e começa a mais difícil e delicada. Em Cuba, esperavam um herói e um amigo, quase um pai da pátria. Nos EUA chega, ao menos no imaginário dos neocons, o Papa vilão, que põe em questão o capitalismo selvagem, que contamina a casa comum até fazê-la irrespirável. Do calor tropical cubano à frieza anglo-saxã. A reportagem é de José Manuel Vidal, jornalista, publicada por Religión Digital em 22-09-2015.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição