Edição 467 | 15 Junho 2015

Linha do Tempo

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

A IHU On-Line apresenta seis notícias publicadas no sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU entre os dias 08-06-2015 e 12-06-2015, relacionadas a assuntos que tiveram repercussão ao longo da semana

Católicos e evangélicos em cruzada contra a palavra gênero na educação

Grupos religiosos estão em uma cruzada nas câmaras municipais brasileiras para evitar que a palavra "gênero" passe a fazer parte dos planos municipais de educação, o conjunto de metas que as prefeituras terão que adotar pelos próximos dez anos e que estão sendo votadas em vários pontos do país neste ano. Em São Paulo, a pressão surtiu efeito e o termo desapareceu, na última quarta-feira, das 34 páginas que estão sendo discutidas desde 2012.

A pressão repete o que já foi visto no ano passado, durante a discussão do Plano Nacional de Educação, em Brasília, quando o lobby religioso, liderado especialmente pelos deputados evangélicos, também suprimiu a palavra do texto final. É apenas mais um exemplo da mobilização de grupos religiosos para fazer valer suas posições nas discussões relacionadas à inclusão e direitos humanos no Brasil. 

 

Lares brasileiros já têm mais animais que crianças

"É aconselhado cada vez mais que as famílias de filhos únicos supram a falta de um irmão ou irmã com um animal de estimação que pode se tornar o melhor amigo e confidente", escreve Juan Arias, escritor e jornalista, em artigo publicado pelo jornal El País, 10-06-2015.

Segundo ele, "é positivo que os lares brasileiros, e mais nesses momentos nos quais essa sociedade sofre de medos e desencantos com seus governantes que deveriam oferecer segurança e confiança, estejam povoados com os queridos bichos de estimação em vez de armas e muros eletrificados. Dessas armas e desses muros nunca vai nascer essa “molécula do amor” que vive no coração desses seres que nos ensinam a difícil virtude da fidelidade.

 

Irmã Dorothy poderia ser a santa padroeira da próxima encíclica do Papa Francisco

Quando a carta encíclica do Papa Francisco sobre o meio ambiente for publicada em 18 de junho, parecerá óbvio para a maioria das pessoas quem é o santo padroeiro do documento: São Francisco de Assis, o grande amante de toda a criação que viveu nos séculos XII e XIII e cujo famoso “Cântico das Criaturas” dá o título ao texto pontifício: ‘Laudato Si’.

No entanto, Francisco deixou escapar na quinta-feira (11 de junho) uma pista indireta de que há um outro forte candidato a patrono, alguém muito mais perto no tempo e que ainda não foi declarado santo formalmente: a Irmã Dorothy Stang, missionária americana assassinada no Brasil em 2005 ao defender a floresta amazônica e os direitos dos agricultores pobres.

 

Francisco aprova processo de responsabilização de bispos em casos de abuso sexual

O Papa Francisco aprovou a proposta de um novo sistema de responsabilização para os bispos católicos que não lidarem adequadamente com as denúncias de abuso sexual cometidos pelo clero, naquele que pode ser um avanço importante em uma questão que vem atormentando a Igreja em nível mundial.

Proposto pelo Cardeal Sean O’Malley, de Boston, a pedido de uma comissão pontifícia que trata dos casos de abuso sexual na Igreja, o sistema dá poderes para que a Congregação para a Doutrina da Fé – CDF julgue os bispos “no que diz respeito a crimes de abuso de poder relacionados com abusos de menores”. Ele também lança um novo departamento na CDF que estará encarregado de realizar o trabalho de julgar tais bispos.

 

Pressão e protestos de estudantes, deputados e líderes adiam PEC da maioridade

Relatório foi lido em sessão tumultuada, que culminou com pessoas feridas e passando mal, mas não foi votado. Eduardo Cunha disse que levará matéria ao plenário dia 30. Parlamentares querem mais tempo.

A pressão dos parlamentares contrários à redução da maioridade penal, as articulações do Executivo com o PSDB para apresentação de uma alternativa à proposta e os protestos de estudantes na Câmara dos Deputados, na tarde de hoje (10), levaram a votação do relatório da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 171, que trata do tema, a ser adiada para a próxima quarta-feira (17). A decisão foi tomada pelos integrantes da comissão especial que analisa a PEC depois de um pedido de vista coletivo feito pelos deputados.

 

Discursos e ações pelo clima global se encaixam em uma "bifurcação da realidade"

Muitos elementos levam a pensar que o mundo em breve conseguirá chegar a um acordo sobre o clima. Em uma entrevista recente a vários veículos internacionais da mídia, Laurent Fabius, o ministro francês das Relações Exteriores, afirma acreditar que os países responsáveis por quase 90% das emissões terão submetido suas propostas de redução até a 21ª Conferência das Partes na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (CQNUMC), ou COP21, que deve ser realizada em dezembro em Paris.

Infelizmente, há fortes indícios de que essas promessas, quaisquer que sejam elas, não serão cumpridas. Ou, pelo menos, que jamais virarão algo que possa ter um efeito avaliável sobre o clima.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição