Edição 440 | 07 Abril 2014

O desencantamento da experiência religiosa em House: "creia no que quiser, mas não seja idiota"

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

Publicação em Destaque
O desencantamento da experiência religiosa em House

A edição nº 84 dos Cadernos Teologia Pública traz o texto O desencantamento da experiência religiosa em House: "creia no que quiser, mas não seja idiota", do teólogo Renato Ferreira Machado, professor da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre e integrante do Instituto Humanitas Unisinos - IHU. House é um seriado estadunidense de drama hospitalar cujas histórias são desenvolvidas a partir de tramas envolvendo a saúde humana. O texto publicado questiona que tipo de leitura sobre o fenômeno religioso pode ser realizada a partir do seriado, para em seguida afirmar que, ao mostrar narrativas que abordam a crise humana diante da enfermidade e da morte, House acaba se concentrando no mesmo e único locus possível para se investigar a experiência religiosa: o próprio ser humano. O autor sustenta, assim, que House constrói uma experiência religiosa significativa a partir da realidade do sofrimento e que o que caracteriza esta experiência como religiosa é a re-ligação de House com a realidade e, de modo especial, com as pessoas. Nesse sentido, o texto considera que toda experiência de sofrimento é uma experiência de ausência: aquele que sofre parece estar exilado do próprio corpo, uma vez que não consegue viver a dimensão da liberdade em sua corporeidade.

Esta e outras edições dos Cadernos Teologia Pública podem ser solicitadas diretamente no Instituto Humanitas Unisinos - IHU ou pelo endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. A versão em PDF do artigo estará disponível a partir de 28-04-2014. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3590-8247.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição