Edição 436 | 10 Março 2014

Retrovisor

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

Releia algumas das edições já publicadas da IHU On-Line.
Somos condenados a viver em sociedade? As contribuições de Rousseau à modernidade política

Somos condenados a viver em sociedade? As contribuições de Rousseau à modernidade política

Edição 415 – Ano XIII – 22-04-2013

A edição 415 da IHU On-Line trouxe como tema de capa a obra de um dos grandes filósofos do Iluminismo, Jean-Jacques Rousseau, que continua a ser um pensador importante para se analisar a sociedade e a política. Prova disso é que em 2012, quando se completaram 300 anos de seu nascimento, inúmeras celebrações aconteceram mundo afora. Autor de ideias importantes e controvertidas, o filósofo contratualista afirmava, contrariamente a Hobbes, que o homem nascia bom e era corrompido pela vida em sociedade. Estava, por assim dizer, “condenado” a entrar em um pacto que viabilizasse sua existência cotidiana. 

 

A política em tempos de niilismo ético

Edição 197 – Ano VI – 25-09-2006

“Há uma clara crise de fundamentos éticos do espaço público brasileiro. Esta crise, agora extremada, é fundacional: na verdade, trata-se de construir fundamentos de um Estado que nunca foi, em sentido pleno, republicano. Os principais atores políticos do país têm que dar respostas a esta crise”. A análise é do professor Juarez Guimarães, do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em entrevista ao tema de capa da Edição 197 da IHU On-Line. Às vésperas das eleições presidenciais de 2006, a publicação discute nossa sociedade a partir do diagnóstico da crise contemporânea, chamado niilismo ético na perspectiva de Lima Vaz.

 

John Rawls: o filósofo da justiça

Edição 45 - Ano II - 02-12-2002

Em seu segundo ano de publicação, a IHU On-Line debateu no tema de capa da edição 45 a contribuição do pensador John Rawls, conhecido mundialmente por sua obra Theory of Justice (RAWLS, John. Uma teoria da justiça, São Paulo: Martins Fontes, 1997). O número da revista foi publicado nove dias após a morte do teórico. Rawls, que prestou importante contribuição ao debate do neocontratualismo, desenvolveu uma rigorosa teoria da justiça que tem como princípio fundante a liberdade.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição