Edição 426 | 02 Setembro 2013

HESMONDHALGH, David. The cultural industries. 3ª. ed. Los Angeles ; London : SAGE,2007.

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

Sala de Leitura
HESMONDHALGH, David. The cultural industries. 3ª. ed. Los Angeles ; London : SAGE,2007.

The Cultural Industries, trabalho de David Hesmondhalgh que ganha este ano uma terceira edição com informações complementares ao trabalho original, não se propõe a apresentar nenhuma grande inovação teórica. Nesta posição, o autor não está sozinho: ninguém parece ter conseguido produzir uma teoria integrada sobre mídia capaz de se transformar em referência canônica. O mérito da obra reside em coordenar uma ampla descrição analítica sobre uma quantidade notável de problemas, sem abandonar o argumento central que mantém o fio condutor da obra. Quando trata dos conglomerados de broadcast tradicionais, dos negócios de internet, das políticas para os mass media e dos movimentos de desregulamentação, das empresas de telecomunicações, das indústrias de cinema, da concentração e da conglomerização, da televisão segmentada, das políticas para indústrias criativas, o eixo reside em apresentá-los todos como parte de um sistema integrado, dependente destes variados elementos. A ideia pode já ter sido repetida aos quatro ventos. Mas sugerir um tema é uma coisa: explorá-lo, e esgotá-lo, algo bastante diferente. A obra é de fôlego e merece ser lida.

 

João Martins Ladeira é professor do programa de Pós-Graduação em Comunicação da Unisinos.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição