Edição 423 | 17 Junho 2013

Megaeventos e a Violação de Direitos: A Copa do Mundo para quem e para quê?

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Ricardo Machado

O evento IHU ideias desta semana, que ocorre na quinta-feira, 20, a partir das 17h30min, na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU, recebe a arquiteta e urbanista, formada na Unisinos em 2008, Claudia Favaro. Ela fará a palestra Megaeventos e a violação de direitos: A Copa do Mundo para quem e para quê?, em que abordará questões sociais relacionadas aos projetos de reurbanização tendo em conta o Mundial de Futebol de Seleções. Claudia trabalha com assessoria técnica a movimentos sociais, entre eles o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, faz parte do Comitê Popular da Copa de Porto Alegre e é a representante do Rio Grande do Sul na articulação nacional dos comitês populares da Copa.

“As violações (de direitos humanos) se dão nas mais variadas esferas e uma das principais são as remoções forçadas em detrimento das obras de infraestrutura. Nosso cálculo aponta que mais de 200 mil pessoas serão removidas no Brasil em função dos megaeventos. Esse número dá conta também das pessoas que foram ameaçadas, mas que em algum momento realizaram resistência e o governo recuou”, aponta Claudia. Para ela, podemos esperar pouco retorno dos investimentos realizados para o mundial e que a maior contribuição está relacionada à possibilidade de se desenvolver uma cultura do esporte como resgate à cidadania. “De resto é um grande negócio, uma venda de imagem de cidades, uma venda de insumos de construção civil, uma venda de territórios, uma venda de pessoas. São só trocas comerciais. Se o Brasil conseguisse valorizar sua cultura sem colocar mulher pelada e carnaval, poderia ter um retorno interessante para o país”, complementa.

Entre os desafios apontados por Claudia, está o de manter na resistência, embora ela ressalte que, considerando o que já passou, a tendência é que a repressão aumente. “A polícia está cada vez mais violenta, a repressão às manifestações está cada vez mais intensa. Diálogo com os entes e esferas públicas que não houve até agora não vai ter. Houve em Porto Alegre uma aproximação importante da Defensoria Pública, que criou uma comissão interna para tratar disso”, avalia.

Mais informações no link http://bit.ly/1bzJium.

 

Leia mais...

A IHU On-Line já publicou outras entrevistas sobre essa temática. Confira:

 

* Copa do Mundo. Para quem e para quê? Edição 422, de 10-06-2013, disponível em http://bit.ly/11Yn6nW

* Futebol. A marca de uma identidade nacional? Edição 334, de 21-06-2010, disponível em http://bit.ly/gj0j6N

* Copa do Mundo: ''o interesse público está sendo desvirtuado''. Entrevista especial com Thiago Hoshino. Entrevistas do sítio IHU On-Line, nas notícias do dia 19-12-2011, disponível em http://bit.ly/v1lKHE

* Copa do Mundo 2014: “O Estado paga a conta e a iniciativa privada fica com o lucro”. Entrevista especial com Marcos Alvito. Entrevistas do sítio IHU On-Line, nas notícias do dia 04-01-2012, disponível em http://bit.ly/wp0Bla

* As implicações sociais da Copa do Mundo. Entrevista com Roberto Morales. Entrevistas do sítio IHU On-Line, nas notícias do dia 11-01-2012, disponível em http://bit.ly/A0lg2j

* Copa do Mundo: está em curso um processo de “higienização” no Rio. Entrevista especial com Hertz Leal. Entrevistas do sítio IHU On-Line, nas notícias do dia 02-05-2012, disponível em http://bit.ly/Kq46WR

* O Desenvolvimentismo em debate. Edição 392, de 14-05-2012, disponível em http://bit.ly/JwfkfW

* Tráfico de pessoas. A forma contemporânea de escravidão humana. Edição 414, de 15-04-2013, disponível em http://bit.ly/YzlssB

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição