Edição 411 | 10 Dezembro 2012

Destaques On-Line

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU On-Line

Entrevistas especiais feitas pela IHU On-Line no período de 04-12-2012 a 07-11-2012, disponíveis nas Entrevistas do Dia do sítio do IHU (www.ihu.unisinos.br).

Sobrevivente dos anos de chumbo. Depoimento e apelo
Entrevista com Anivaldo Padilha, sociólogo e membro do grupo de trabalho constituído pela Comissão Nacional da Verdade que investiga o papel das igrejas durante a ditadura militar
Confira nas Notícias do Dia de 04-12-2012
O sociólogo solicita a colaboração para enviar informações ao seu email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. que possam contribuir para o trabalho do Grupo de Trabalho conduzido pela Comissão Nacional da Verdade, que investiga o papel das igrejas durante a ditadura.

A rotulagem e a flexibilização geral dos transgênicos
Entrevista especial com José Maria Ferraz, professor do curso de mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural da UFSCar e professor convidado da Universidade Estadual de Campinas
Confira nas Notícias do Dia de 05-12-2012
“A partir da regulamentação do feijão transgênico dá para se ter uma ideia de como está funcionando a lei de biossegurança no país. Na verdade, ela está favorecendo o interesse do agronegócio e não da população”, observa o membro da CTNBio.

Agrotóxicos: “Flexibilizar a lei gaúcha seria um retrocesso”
Entrevista especial com Jaime Weber, engenheiro agrônomo
Confira nas Notícias do Dia de 06-12-2012
“É estranho que o Brasil, na tentativa de resolver o problema da fome, use uma série de tecnologias no sentido de aumentar a produtividade. Mas o fato é que desde 2008 o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo”, constata o engenheiro agrônomo.

A política energética e a MP 579: um debate político e corporativista
Entrevista especial com Célio Bermann, pesquisador do Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP
Confira nas Notícias do Dia de 07-12-2012
“A MP 579 apenas reforça o caráter autocrático com que o atual governo procura conduzir a política energética no país”, declara o pesquisador.

Últimas edições

  • Edição 539

    Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

    Ver edição
  • Edição 538

    Grande Sertão: Veredas. Travessias

    Ver edição
  • Edição 537

    A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

    Ver edição