Edição 408 | 12 Novembro 2012

O problema do uso de padrões duplos em relação a Israel

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Thamiris Magalhães / Tradução: Silvia Ferabolli

Segundo análise de Yusef Daher a paz justa existirá quando os palestinos puderem voltar para casa, não o que está acontecendo agora, em que judeus de outras partes do mundo podem vir para a terra e se tornar cidadãos em uma semana, apenas porque são judeus

Yusef Daher não crê que o conflito entre israelenses e palestinos irá acabar até que a justiça seja feita. “Os palestinos fizeram a sua melhor oferta para Israel e esta foi recusada. Agora, pela paz ou pela guerra, a solução virá no final”, aponta, em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line. Para o autor de vários artigos sobre os cristãos palestinos e Jerusalém “a religião é usada – e mal – neste conflito. Por vezes, as pessoas tendem a usar a religião para legitimar suas reivindicações sobre a terra e as raízes na terra – a Terra Santa. Às vezes, eles usam isso como uma desculpa para oprimir o outro”.

Yusef Daher nasceu em Jerusalém, em 1966. É secretário executivo do Jerusalém Inter-Church Center of the Heads of Churches of Jerusalem, em associação com o Conselho Mundial de Igrejas – CMI e com o Conselho de Igrejas do Oriente Médio. É autor de vários artigos sobre os cristãos palestinos em Jerusalém e um dos autores do documento Kairós Palestina: “Momento da Verdade”.

Confira a entrevista.


IHU On-Line – Como você vê a solução para o conflito? É necessário o estabelecimento de dois Estados independentes? Ou que outra solução você vê?

Yusef Daher – Na verdade, a solução de dois Estados, que é uma justiça parcial, não funcionou porque Israel queria ganhar mais terra nas negociações, deixando os palestinos limitados por áreas fragmentadas e fechadas, o que não funcionará, como a realidade já atesta. A solução estatal é mais favorável para a maioria dos palestinos e garante os direitos dos povos da terra, enquanto aos israelenses o mesmo não é aplicável, uma vez que poderia significar a perda da terra que esses conquistaram através de guerras e estabelecimento de seu Estado. Não creio que esse conflito irá acabar até que a justiça seja feita. Os palestinos fizeram a sua melhor oferta para Israel e esta foi recusada. Agora, pela paz ou pela guerra, a solução virá no final.


IHU On-Line – Como podemos explicar a “Paz Justa” e como ela se relaciona com esse conflito? Qual é o seu papel em uma resolução pacífica?

Yusef Daher – Basicamente, a dignidade de todos deve ser recuperada na solução. Não posso viver aqui e ver a terra dos meus pais em Haifa confiscadas (1948) por outros e dizer que estamos vivendo em paz. A paz justa existirá quando os palestinos puderem voltar para casa, não o que está acontecendo agora, em que judeus de outras partes do mundo podem vir para a terra e se tornar cidadãos em uma semana, porque eles são judeus, e depois liquidar a terra de meus pais.


IHU On-Line – Como pode a ONU ajudar a resolver pacificamente o conflito entre israelenses e palestinos?

Yusef Daher – Simplesmente com a implementação das resoluções da Organização das Nações Unidas – ONU determinadas há bastante tempo e ainda aguardando execução. A ONU deve parar de usar padrões duplos quando se trata de Israel. O problema está nas mãos dos Estados poderosos. Eles estão enfraquecendo a importância da ONU.


IHU On-Line – Como você avalia a queda no número de cristãos em Jerusalém? Por que isso ocorre?

Yusef Daher – Sob turbulência política ou incerteza econômica, as pessoas partem, sejam elas cristãs ou não. Nesta área, temos experimentado uma série de guerras e tumultos. Os cristãos partem nos momentos difíceis para encontrar uma vida melhor para seus filhos. A ocupação continua a ser a principal responsável pela redução nos números. O processo de partir, que começou em 1948 e 1967, continua em curso. Na Jerusalém pré-1967, eram 32 mil cristãos; hoje, são apenas 8000. Atualmente há mais cristãos de Jerusalém em Sydney (Austrália) do que em Jerusalém.


IHU On-Line – Em geral, como você analisa a política dos governos israelenses desde a criação de Israel em 1948? Do ponto de vista dos direitos humanos, eles foram preservados por instituições israelenses em relação a não judeus?

Yusef Daher – Basicamente, as políticas israelenses são discriminatórias e racistas, pois permitem que judeus se estabeleçam nessa terra, quando suas famílias não têm raízes locais e, por outro lado, negam aos palestinos que aqui nasceram o direito de voltar! Jerusalém é aberta exclusivamente para os judeus durante seus feriados e fechada na cara de cristãos e muçulmanos durante os seus feriados. Licenças de construção são dificultadas em Jerusalém oriental, onde as casas são inadequadas, mas mesmo assim só nos autorizam a construir em 13% da nossa Belém ou Jerusalém enquanto eles continuam construindo dentro da Cisjordânia o tempo todo e no leste de Jerusalém oriental. Enfim, a lista é longa. Os direitos humanos básicos são violados todos os dias, desde os direitos de culto ou residência até os direitos de uma nação independente existir.


IHU On-Line – Qual é a posição da Autoridade Nacional Palestina – ANP frente ao conflito? Em sua opinião, tem a ANP assumido um papel consistente na busca de resolução?

Yusef Daher – A Autoridade Nacional Palestina foi resultado de negociações e, claro, os objetivos das negociações não foram alcançados. Então, o que resta é uma autoridade para gerir a administração interna e controle da população, além de coordenação de segurança com Israel. Este fato é em benefício de Israel e é apenas o prolongamento do conflito até um ponto de explosão, como se verificou recentemente em algumas ocasiões. A qualquer momento você pode esperar outra intifada devido às dificuldades em que os palestinos vivem.


IHU On-Line – Os palestinos que trabalham/estudam em Israel, atravessando os postos de controle diariamente, têm seus direitos preservados ou há um apartheid entre eles e os israelenses?

Yusef Daher – O sistema de apartheid é experimentado diariamente em quaisquer de nossos movimentos como um aspecto básico da nossa vida. Há estradas de assentamentos judaicos que passam por cidades palestinas, confiscadas de terras palestinas, que impedem aldeões palestinos de chegarem até suas escolas, suas áreas de plantio e outras áreas. Em pontos de verificação, palestinos precisam ter autorização para passar. Judeus e israelenses, por ouro lado, viajam livremente de suas áreas para todas as partes de Israel.


IHU On-Line – Qual é o papel da religião neste conflito? Há uma posição consensual entre os judeus ortodoxos e reformistas frente ao conflito? Em geral, como as correntes judaicas percebem esta situação?

Yusef Daher – As diferentes correntes judaicas estão nada mais do que aproveitando sua nação, e não me importo com o que acontece do outro lado do muro. As outras minorias, sejam elas religiosas ou seculares, estão se tornando cada vez mais irrelevantes. A religião é usada – e mal – neste conflito. Por vezes, as pessoas tendem a usar a religião para legitimar suas reivindicações sobre a terra e as raízes na terra – a Terra Santa. Às vezes, eles usam isso como uma desculpa para oprimir o outro. Sionistas cristãos de fora da área também se alimentam desta manipulação da religião, dando a Israel o direito de ocupar territórios sob o pretexto de ser o povo escolhido com uma terra prometida! Dessa forma, eles estão fazendo com que a Bíblia, que é uma Boa Nova, seja vista pelos palestinos como uma má notícia!


IHU On-Line – Gostaria de acrescentar algum aspecto que não foi questionado?

Yusef Daher –
Justiça vem de Deus e atraves d’Ele. Esperamos que nossos irmãos e irmãs cristãos no Ocidente se tornem as ferramentas da Justiça de Deus, e não seu obstáculo.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição