Edição 406 | 29 Outubro 2012

IHU Repórter

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Thamiris Magalhães

“Sou uma pessoa que, se tiver que falar o que achar de devo, digo, sempre na frente da pessoa. Não sou de falar de ninguém pelas costas. Se eu achar que estou com a razão, por mais que doa, falo. Esse é o meu perfil”, admite Airton Adalmir Cima da Silveira, que trabalha na maquetaria da Unisinos, há cinco anos. “Mas, na Unisinos, formalmente já estou há 19”. Em entrevista concedida pessoalmente à IHU On-Line, Airton diz que não é ambicioso e que seu maior sonho é ver seus filhos todos bem, quando tiver mais velho. Conheça um pouco mais sua história de vida.

Origem – Nasci em 04-08-1962. Sou natural de Esteio. Minha mãe, meu pai e meus dois irmãos mais velhos são de Rio Pardo. Minhas irmãs também nasceram em Esteio. No total, somos cinco irmãos: Carlos, Rejane, Clair, Marta e eu. Todos moramos em Sapucaia do Sul e somos casados. Minha mãe, Eloni, e meu pai, Gerdau, moram em Sapucaia e são separados. Sou casado há 27 anos com a Marlei e temos três filhos, a Jaqueline, de 26 anos, que é casada; o Hamilton, de 25 anos, que vai casar final deste ano e a Ketelen, de 10 aninhos. 

Formação – Estudei até a 8ª série na Unisinos, quando tive a oportunidade de retomar os estudos aqui. Fiz o primeiro grau nesta instituição, por dois anos e meio. 

Trabalho – Antes, eu trabalhava na manutenção da Unisinos. Na maquetaria estou há cinco anos. Mas, na Unisinos, formalmente já estou há 19. Porém, comecei a trabalhar nesta instituição em 1980, com as empreiteiras, por quatro anos, até 1984. Depois, fiquei dois anos fora, trabalhando em outras empresas. Posteriormente, em 1986, retornei, trabalhando com as empreiteiras. Em 1993, tornei-me funcionário direto da Unisinos. Trabalhei apenas oito meses em obra e depois fui para a manutenção. Em 2007, vim trabalhar na maquetaria. Trabalho, então, de maneira geral, há 32 anos nesta instituição.

Lazer – Gostava de jogar bola, mas hoje parei. Agora, tiro mais tempo para brincar com minha filha que tem 10 anos. Com meus outros dois filhos não tive muito tempo para isso. Eles cresceram e eu sequer vi isso acontecer. Até porque, como trabalho também de pedreiro, tive que construir a nossa casa. Toda a nossa residência foi construída por mim. Trabalhava final de semana, férias, feriado etc., e quase nunca tinha tempo para eles. Com essa minha filha menor, estou buscando ser diferente. Até porque agora nossa casa já está toda construída. Agora tenho mais tempo para a Ketelen.

Livro – Leio a Bíblia faz três anos e ainda não consegui terminar. Já estou no livro do Apocalipse. 

Religião – Católico praticante. 

Sonho – Não sou muito ambicioso. Sonho em ver meus filhos todos bem, quando eu tiver mais velho.

Unisinos – Representa muita coisa, porque trabalho há muitos anos aqui. Tenho muitos amigos que fiz nesta instituição. Outros que já saíram, e que continuamos nos visitando. Tenho colegas na praia, que se aposentaram aqui. Hoje estão lá, e às vezes nos reencontramos. Para mim, representa a minha segunda casa.

Autodefinição – Sou uma pessoa que, se tiver que falar o que achar de devo, digo, sempre na frente da pessoa. Não sou de falar de ninguém pelas costas. Se eu achar que estou com a razão, por mais que doa, falo. Esse é o meu perfil. 

Música – Curto as canções do Roberto Carlos.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição