Edição 389 | 23 Abril 2012

Produtos artesanais compõem o cenário de biodiversidade da Caatinga

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Thamiris Magalhães

Produção com fibras de palhas, cerâmicas, bordados com registros de espécies da fauna e flora e artefatos oriundos de material reciclável também são destaques do bioma

“Acredito que somente o processo educativo e coercitivo dos gestores ambientais não é suficiente para estimular a população. São necessários projetos e linhas de financiamentos acessíveis aos usuários de produtos e serviços ambientais de forma gradativa, face às especificidades regionais”, esclarece Maria Tereza Bezerra Farias Sales, em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line, ao ser questionada sobre a dificuldade em mobilizar as pessoas para a preservação da Caatinga. Maria Tereza diz, ainda, que um dos desafios que o bioma enfrenta atualmente é o de criar Unidades de Conservação de proteção integral: “adotar modelos de cogestão em Unidades de Conservação de uso sustentável; assegurar recursos para pagamentos por serviços ambientais e promover a integração da política ambiental com os demais setores econômicos (turismo, agricultura, indústria), educação e extensão”.

Maria Tereza Bezerra Farias Sales é coordenadora do Projeto Mata Branca, no Ceará. Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal do Ceará – UFCE e Mestrado em Geologia Ambiental pela mesma Universidade. É autora de Geologia da Estação Ecológica de Aiuaba - Ceará. Fortaleza: UFC, 1988 (Geologia). 

Confira a entrevista.

IHU On-Line – No que consiste o Projeto Mata Branca? Quais as contribuições que ele oferece à Caatinga?

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – Consiste em promover a gestão sustentável da Caatinga nos estados do Ceará e da Bahia por meio de um plano de capacitação para atores sociais diversos, envolvendo tomadores de decisão, comunidades locais e terceiro setor. Prioriza a implementação de projetos ambientais sustentáveis com agregação de melhoria de renda, inserindo aspectos culturais e tecnologias limpas.

IHU On-Line – Quais são as contribuições artesanais que a Caatinga tem? 

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – Produção com fibras de palhas, cerâmicas, bordados com registros de espécies da fauna e flora e artefatos oriundos de material reciclável.

IHU On-Line – De que maneira é possível gerar um pensamento de valorização da Caatinga com atividades diferentes das agrícolas? 

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – A partir arranjos produtivos de produtos envolvendo os atrativos naturais para estimular o turismo rural e científico; adotar modelos de cogestão entre Estados e iniciativa privada e/ou terceiro para assegurar o turismo em Unidades de Conservação. 

IHU On-Line – A senhora acredita que é difícil mobilizar as pessoas para a preservação do bioma?

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – Acredito que somente o processo educativo e coercitivo dos gestores ambientais não é suficiente para estimular a população. São necessários projetos e linhas de financiamentos acessíveis aos usuários de produtos e serviços ambientais de forma gradativa, face às especificidades regionais.

IHU On-Line – Como avalia o desmatamento na Caatinga?

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – Este problema somente na última década passou a ser considerado relevante para fins de implementação de políticas públicas e monitoramento deste bioma. Portanto, agrava-se à medida que a implementação de planos, programas e incentivos ainda representam iniciativas pontuais em face de dimensão do bioma da e porcentagem da população que sobrevive de produtos oriundos dele.

IHU On-Line – Qual o potencial madeireiro que o bioma oferece?

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – O potencial madeireiro encontra-se em fase de diagnóstico pelo Ministério do Meio Ambiente e estado do Ceará, realizado ainda na década de 1990. É crescente o uso para fins energéticos e produtos de móveis e demais subprodutos. Portanto, o potencial pode estar comprometido em algumas regiões do estado, o que reflete também na diminuição de espécies da fauna. 

IHU On-Line – Quais os maiores desafios que a Caatinga enfrenta atualmente?

Maria Tereza Bezerra Farias Sales – Um deles é aumentar o percentual de áreas manejadas. Outro seria criar Unidades de Conservação de proteção integral: adotar modelos de cogestão em Unidades de Conservação de uso sustentável; assegurar recursos para pagamentos por serviços ambientais e promover a integração da política ambiental com os demais setores econômicos (turismo, agricultura, indústria), educação e extensão.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição