Edição 387 | 26 Março 2012

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

Nesta semana, já em clima de Semana Santa, na Unisinos haverá um espaço propício para ver, ouvir, sentir e experimentar algo diferente: arte, pinturas, ícones, imagens, filmes, testemunhos, música brasileira, além de Bach e Lizst, serão possíveis de curtir na Sala Ignácio Ellacuría e Companheiros, no Instituto Humanitas Unisinos – IHU.

Estarão na Unisinos os artistas José Maria Fernandes, jesuíta, professor da PUC-Rio e Clarice Jaeger, conhecida por sua iconografia.

A semana marcará também a exibição, em várias sessões, do renomado filme Homens e Deuses, de Xavier Beauvois. O filme, baseado na dramática história de monges trapistas na Argélia, será comentado por pelo monge trapista, americano de origem judaica, D. Bernardo Bonowitz, abade do Mosteiro Nossa Senhora do Novo Mundo, em Campo do Tenente-PR.

Nos dias subsequentes, Johan Sebastian Bach e Franz Lizst serão os mestres da música que possibilitarão a experiência do sublime com as audições comentadas da cantata Was Gott tut, das ist wohlgetan de J. S. Bach e da Via Crucis de Franz Lizst. “Experiência estética e espiritualidade na música brasileira” é o tema da conferência da Profa. Dra. Yara Caznok, da UNESP a ser proferida na noite de quinta-feira. A Profa Yara Caznok também comentará as duas audições supra referidas.

As entrevistas de José Maria Fernandes, Clarice Jaeger, Yara Caznok e de D. Bernardo Bonowitz podem ser lidas na revista IHU On-Line desta semana.

O tema de capa desta edição debate as políticas públicas para as mulheres. Especialistas de diversas áreas do conhecimento discutem o tema: Gilberto Kac, professor titular do Instituto de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e coordenador do Observatório de Epidemiologia Nutricional, Marcella Martins Alves Teófilo, mestranda no Programa de Pós-Graduação em Nutrição do Instituto de Nutrição Josué de Castro da UFRJ, Sueli Batista dos Santos, jornalista, Vanderléia Laodete Pulga Daron, do Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde do Grupo Hospitalar Conceição, Elza Maria Campos, coordenadora Nacional da União Brasileira de Mulheres – UBM, Fernando Lefevre, professor da Universidade de São Paulo – USP, Télia Negrão, cientista política, coordenadora da ONG Coletivo Feminino Plural, Rosângela Angelin, doutora em direito, professora do curso de Direito da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI, Campus Santo Ângelo-RS. A socióloga e cientista política Jacqueline Pitanguy de Romani, ex-presidente do Conselho Nacional de Direitos da Mulher – CNDM, contribui no debate com um artigo sobre a Constituição de 1988 como um marco nas conquistas das políticas públicas para as mulheres.

O artigo “Alguns cenários da TV no momento pós-digitalização” de Luciano Correia dos Santos, professor da Universidade Federal de Sergipe – UFSE e a entrevista com o sociólogo Sílvio Camargo, autor do livro Trabalho imaterial e produção cultural: a dialética do capitalismo tardio, completam esta edição.

A presente edição também recorda a memória de Aziz Ab’Saber, recentemente falecido. Para Miguel Trefaut Rodrigues, do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências da USP, Ab’Saber foi um cientista e humanista por inteiro.

A todas e a todos uma ótima semana e uma excelente leitura!

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição