Edição 355 | 28 Março 2011

Ciclo de Filmes e Debates: Sociedade Sustentável no Cinema

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Patrícia Fachin

“Por que não salvamos a nós mesmos quando tivemos a chance?” Está é a pergunta central do filme A era da estupidez (2009 – 100min.), da diretora britânica Franny Armstrong, que retrata uma sociedade marcada por catástrofes naturais, em que a humanidade vive o colapso e assiste à própria extinção.

A era da estupidez será exibido na sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU, na próxima quarta-feira, 30-03-2001, dando início ao Ciclo de Filmes e Debates: Sociedade Sustentável no Cinema, parte da programação de Páscoa IHU 2011.

Segundo Cesar Sanson, do Centro de Pesquisa e Apoio ao Trabalhador - Cepat, a temática apresentada nos filmes “levou os participantes a compreenderem a natureza e o caráter da crise ecológica e, a partir dessa compreensão, desenvolver uma consciência ambiental planetária que se traduza em possíveis alternativas de ação no território local de mitigamento e/ou superação dessa crise”.

Para ele, A era da estupidez impactou fortemente os participantes porque “revela a falência do modelo de desenvolvimento econômico assentado sobre o crescimento econômico linear e instiga uma revisão dos padrões de produção e consumo. Vários participantes afirmaram que o filme impele a um consumo responsável e estimula uma postura crítica sobre o modelo em curso no capitalismo mundial e brasileiro. Alguns participantes assumiram ainda o compromisso de exibir o filme em outros espaços como escolas e igrejas”, resume.

Além da obra em questão, de março a junho, serão exibidos e comentados seis filmes com a perspectiva de refletir sobre as crises civilizacional e ecológica do mundo contemporâneo e de pensar soluções para o atual modelo de desenvolvimento. A programação completa do Ciclo de Filmes e Debates: Sociedade Sustentável no Cinema está disponível na página eletrônica do IHU (www.ihu.unisinos.br).

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição