Edição 343 | 13 Setembro 2010

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

Nesta semana realiza-se o XI Simpósio Internacional IHU: o (des) governo biopolítico da vida humana. A edição desta semana da IHU On-Line discute o tema central do evento. Pesquisadores e pesquisadoras de várias áreas do conhecimento contribuem na discussão do mesmo.

O filósofo francês Frédéric Gros (Universidade de Paris XII) assinala que a política não nos defende de um poder externo e que “cada fase do capitalismo vai desenvolver uma biopolítica particular”. Governar no Ocidente é exercer o poder como exceção, opina o filósofo argentino Edgardo Castro (Universidade Nacional de La Plata). A exceção jurídica na biopolítica moderna é o tema discutido pelo filósofo espanhol Castor Ruiz (Unisinos), apontando as contradições graves que aparecem no estado de exceção. José Antonio Zamora, também filósofo espanhol, analisa o nexo entre o biopoder o instante eterno. Segundo ele, o progresso é um conceito fundamental para a legitimação ideológica da biopolítica. O advogado José Carlos Moreira Filho (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) examina as políticas de memória como um dever social, enquanto o economista italiano Andrea Fumagalli questiona os impactos da financeirização sobre o sujeito. O tema gênero, tecnologia e biopolítica é discutido pela psicóloga Márcia Arán, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Para o cientista político Giuseppe Cocco (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o devir-Brasil do mundo confirma a abertura do conceito foucaultiano de biopoder em duas linhas antagônicas.

No mês de agosto faleceu Raimon Panikkar. As Notícias do Dia, publicadas de segunda a domingo, pelo sítio do IHU, deram um amplo destaque à obra deste importante filósofo e teólogo. Na edição passada da IHU On-Line publicamos um belo artigo de Faustino Teixeira. Nesta edição, Marcelo Barros, biblista, nos brinda com um instigante texto intitulado Panikkar e a Teologia da Libertação. Uma entrevista com o teólogo Victorino Pérez Prieto, espanhol, completa a recordação da vida e da obra de Raimon Panikkar.

O artigo A diversidade cultural e o regionalismo na TV brasileira, de Sérgio Mattos, professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e uma entrevista com Heitor Scalambrini Costa, professor e pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE – discutindo os desafios e a necessidade de fontes alternativas de energia, completam esta edição.

A todos e todas, chegados de muitas partes do Brasil e do mundo, e que estarão participando do Simpósio desta semana, muito bem-vindos e bem-vindas.

Aos demais um bom evento, uma ótima leitura e uma excelente semana!

Últimas edições

  • Edição 531

    Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

    Ver edição
  • Edição 530

    Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

    Ver edição
  • Edição 529

    Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

    Ver edição