Edição 328 | 10 Mai 2010

Tecnosinos: o desafio de ser referência nacional em TIC

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Patricia Fachin

Vera Boufleur, diretora da empresa GVDASA, analisa o desempenho do Tecnosinos

A região do Vale do Sinos “ganhou muito com a vinda de empresas nacionais e multinacionais para o Parque Tecnológico de São Leopoldo”, constata Vera Boufleur, sócia-diretora da empresa GVDASA, instalada no Tecnosinos – Parque Tecnológico São Leopoldo. A instituição surgiu, em 1987, como desenvolvedora de softwares e prestadora de serviços de informática no município de São Leopoldo e foi a primeira a se instalar no Parque Tecnológico do município, em 2001. Atualmente, a expansão nacional da empresa conta com o apoio de canais de distribuição localizados nos estados de Minas Gerais e Mato Grosso.

Na entrevista a seguir, concedida, por e-mail, à IHU On-Line, Vera avalia os dez anos do parque e diz que o desafio para o futuro é “fazer com que o Parque Tecnológico de São Leopoldo seja referência nacional em Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC”. Ela menciona ainda que o “Rio Grande do Sul é um estado rico em empreendedorismo, sendo referência em muitas áreas, entre elas, a informática, o que justifica o investimento em parques científicos”.

Vera Boufleur possui graduação no curso de Tecnólogo em Processamento de Dados pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos e especialista em Sistemas de Informação pela mesma instituição. De 1986 a 1990, foi professora na área de Ciências na Computação da Unisinos. É sócia-diretora da GVDASA Sistemas desde 1987. Atualmente, é vice-presidente de Tecnologia da Informação da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de São Leopoldo - ACIS/SL.

Confira a entrevista.

IHU On-Line - Pode traçar, em linhas gerais, um perfil da GVDASA?

Vera Boufleur - A GVDASA Sistemas iniciou suas atividades em 1987 e foi a primeira empresa a se instalar no Parque Tecnológico de São Leopoldo, em 2001. Especialistas em sistema de gestão educacional, oferecemos o que há de mais moderno para a gestão das instituições de ensino, do nível básico ao superior, através do nosso software - GVcollege ERP Educacional. Segundo o Prêmio Top Educação 2009, estamos entre as três marcas mais lembradas na categoria Sistema de Gestão Escolar.

IHU On-Line - Que fatores justificam a escolha de instalar a empresa na região?

Vera Boufleur - A GVDASA Sistemas é natural de São Leopoldo, e viu, no Parque Tecnológico, uma oportunidade de interação com outras empresas da mesma atividade e sinergia com a universidade, além de dar segurança e credibilidade aos clientes, devido à sua localização no Parque Tecnológico de São Leopoldo.

IHU On-line - Quais são as perspectivas da empresa no estado, em especial na região do Vale do Sinos?

Vera Boufleur - Somos líder de mercado no Rio Grande do Sul e, por isso, em 2008, a empresa iniciou um projeto de expansão nacional e, atualmente, temos clientes em todo o país. Cada vez mais, o foco da empresa é conquistar outros estados.

IHU On-Line - Quais as potencialidades do Vale do Sinos na área de informática?

Vera Boufleur - De modo geral, acreditamos que, em função do grande número de empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC localizadas na região, há um aumento de oferta de cursos na área de informática e geração de mão-de-obra especializada.

IHU On-Line - Como percebe e analisa a expansão de parque científicos no estado? O que justifica esse investimento no RS?

Vera Boufleur - O Rio Grande do Sul é um estado rico em empreendedorismo, sendo referência em muitas áreas, entre elas, a informática, o que justifica o investimento em parques científicos.

IHU On-Line - A senhora acompanha o parque desde sua formação inicial? Que avaliação faz destes dez anos?

Vera Boufleur - Acompanhamos o parque desde o início, já que fomos a primeira empresa a se instalar aqui, há dez anos. A região ganhou muito com a vinda de empresas nacionais e multinacionais para o Parque Tecnológico de São Leopoldo. No que tange à sinergia com a universidade, acreditamos que deveria haver uma integração maior da instituição com as empresas do parque.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição