Edição 301 | 20 Julho 2009

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

O capitalismo cognitivo e a financeirização da economia. Crise e horizontes

“A financeirização – longe de contrapor-se à economia 'real' – é a forma da economia capitalista capaz de comandar o trabalho cognitivo e a produção do saber vivo”, constata Gigi Roggero, economista italiano, em entrevista publicada nesta edição da IHU On-Line.

Desde que emergiu a maior crise do capitalismo desde 1929, esta revista dedicou quatro edições para a sua discussão e debate. Assim, a crise foi debatida desde um ponto de vista mais keynesiano e depois, sob um ponto de vista mais marxiano. Também discutimos os impactos da crise no mundo do trabalho e no ambiente.

Nesta edição buscamos compreender como “a financeirização é uma forma adequada e perversa de um sistema que se reproduz na captura do comum”. “Comum” aqui entendido como algo que não existe in natura, mas “que é continuamente produzido pela cooperação do trabalho/saber vivo. E o comum tem um duplo estatuto: é prática cooperativa de liberdade e igualdade, mas é também aquilo que é continuamente desfrutado pelo capital”.

Para retomar, como o faz, Carlo Vercellone, economista, uma formulação de Gramsci, a crise atual é “uma grande crise, um momento trágico, no qual o antigo morre, o novo não chega a ver a luz do dia, e nesse claro-obscuro surgem os monstros. Mas, se nada será como antes, é preciso admitir a dificuldade de definir com precisão os cenários de uma eventual saída da crise”.

Além dos dois economistas supracitados, contribuem no debate Christian Marazzi, autor do clássico O lugar das meias. A virada linguística da economia e seus efeitos na política, que acaba, finalmente, de ser traduzido para o português, Yann Moulier Boutang, redator-chefe da revista Multitudes e Giuseppe Cocco, professor da UFRJ.

Com a tradução de Francisco Taborda, professor da FAJE, Belo Horizonte, completam esta edição uma entrevista com o jesuíta italiano Massimo Pampolini, tendo como tema a poesia de Dante Alighieri como exemplo de obra literária que propõe o contato com o Divino, e uma análise da conjuntura política internacional e latino-americana feita por Luiz Alberto Moniz Bandeira.

A todas e todos uma ótima semana e uma excelente leitura!

Últimas edições

  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição
  • Edição 543

    Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

    Ver edição
  • Edição 542

    Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

    Ver edição