Edição 293 | 18 Mai 2009

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

O sistema prisional brasileiro

“São 5 mil presos num espaço para 1,8 mil. A maioria das celas está em ruínas. Imagine, então, que numa galeria para 150, estão 450 presos. Nestas galerias, sem divisão alguma, os presos se misturam em grandes bandos.” Assim o jornalista gaúcho Daniel Scola descreve o caos do Presídio Central de Porto Alegre. Ele é um retrato do sistema prisional gaúcho e brasileiro. “Muitas pessoas me perguntam qual é a marca de um presídio”, relata o jornalista. E responde: “Para mim, é o cheiro de esgoto”. Sim, o sistema prisional brasileiro e gaúcho exala um cheiro fétido de decomposição.

Contribuem nesta edição da revista IHU On-Line, além do jornalista supracitado, o também jornalista e ex-deputado federal Marcos Rolim, e a Profa. Dra. Maria Palma Wolff. Esta é assistente social e pesquisadora sobre o tema prisões, violência e direitos humanos, e apresenta um panorama sobre o Presídio Feminino Madre Peletier, localizado na capital gaúcha.
 
Já abordada nas páginas do sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU -, a dramaticidade do caso do Presídio Urso Branco, de Porto Velho, RO, é refletida pelo jovem advogado paranaense Gustavo Dandolini, por Paulo Tadeu Barausse, padre jesuíta, e pela advogada Tamara Melo, da ONG Justiça Global, do Rio de Janeiro.

Participam igualmente desta edição Gunther Zgubic, padre austríaco, radicado no Brasil e responsável pela Pastoral Carcerária, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, os juristas Vicente de Paulo Barretto e André Callegari, ambos professores na Unisinos, e o professor Alfredo Veiga-Neto.

Completa a reflexão sobre o tema uma entrevista com Costas Douzinas, grego radicado na Inglaterra, autor do livro Fim dos direitos humanos (São Leopoldo: Unisinos, 2009). Os advogados André Sanin, da Pontifícia Universidade Javeriana de Bogotá, Colômbia, e Fernanda Bragato, da Unisinos, comentam a importância desse livro para a discussão dos direitos humanos na América Latina.

Giuseppe Cocco, professor na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), faz uma retrospectiva histórica para contextualizar os conceitos de “Multidão” e “Império” com o cenário de crise internacional atual. O teólogo boliviano Manuel Hurtado fala sobre o resgate do pensamento indígena pelas teologias índias.

A todas e todos um ótima leitura e uma excelente semana!

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição