Edição 282 | 17 Novembro 2008

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

Gerard Manley Hopkins: poeta e místico. Do cotidiano imediato ao plano cósmico

Gerard Manley Hopkins, poeta e místico inglês é o tema de capa da revista IHU On-Line desta semana. Considerado um dos maiores autores da literatura universal, jesuíta, sua obra é analisada e discutida por alguns poetas, tradutores e professores de Literatura.

Alípio Correia de Franca Neto, tradutor e doutorando em Literatura Comparada na USP, destaca a importância do poeta para a modernidade. Para os poetas e tradutores Paulo Henriques Britto, professor da PUC-Rio, e Claudio Daniel, mestrando em Literatura Portuguesa na USP, Hopkins é um dos poetas referenciais no que se refere a um estudo sobre as conquistas de novos meios para se expressar poeticamente. Já o sacerdote católico e médico Aníbal Gil Lopes, professor de Medicina da UFRJ, realiza uma análise sobre o período em que viveu Hopkins, do seu ingresso com a Companhia de Jesus e como foi seu contato com o cardeal John Henry Newman. Por sua vez, Aurora Bernardini, professora de Literatura da USP, argumenta que Hopkins “distorce as regras da gramática e da sintaxe”. O crítico literário Marcus Alexandre Motta, professor de Literatura da UFRJ, e o poeta Thiago Ponce de Moraes avaliam que a relação na literatura de Hopkins entre vida e arte é conflitante, e pode ser entendida sob diferentes ângulos. Na visão do tradutor e professor da USP John Milton, Hopkins trouxe acréscimos à tradição da poesia inglesa. Wiliam Alves Biserra, que faz doutorado relacionando teologia e literatura, na Universidade de Brasília (UnB), faz um apanhado do que aproximaria ou distanciaria Hopkins de James Joyce, e as influências que ambos sofreram do catolicismo. Segundo o professor de Literatura Thomas Burns, da UFMG, Hopkins tem alguns dos poemas mais contundentes que já leu e isso, na sua opinião, se deve ao fato de ele ter sido, além de um excelente poeta de linguagem, também um homem de fé. O poeta Dirceu Villa, doutorando em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês, na USP, avalia a importância de Hopkins dentro da tradição poética, comparando-o a outros poetas.

A revista ainda traz uma antologia de poemas de Gerard Manley Hopkins. Há traduções do poeta e tradutor Augusto de Campos, que gentilmente permitiu a republicação, pois ela já foram publicadas no livro Hopkins: a beleza difícil. E Alípio Correia de Franca Neto, que colabora com uma entrevista, apresenta poemas inéditos importantes na trajetória de Hopkins. Agradecemos, ainda, a colaboração, na elaboração da pauta desta edição, das professoras Leda Tenório da Motta, da PUC-SP, Maria Clara Paro, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp,  Maria Teresa Quirino, da Universidade Paulista, e Myriam Ávila.

Repercutindo o Sínodo dos Bispos, realizado de 5 a 26 de outubro, no Vaticano, entrevistamos o teólogo Johan Konings, que faz uma análise do evento.

O livro da semana é Cinismo e falência da crítica (São Paulo: Boitempo, 2008), de Vladimir Safatle, que fala sobre a obra de sua autoria, em entrevista exclusiva. 

Confira ainda, as entrevistas de Danilo Streck sobre o livro Dicionário Paulo Freire: conversas com autores, de Carlos Daniel Baioto sobre as “Perspectivas e limites de uma Educação Cooperativista Solidária” e de Luciana Araújo de Paula sobre “Educação em Direitos Humanos através da Fotografia: um meio lúdico de consciência e transformação social”.

A todas e todos uma ótima leitura e uma excelente semana!

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição