Edição 268 | 11 Agosto 2008

A realidade da proteção social e previdenciária dos trabalhadores do Vale dos Sinos em debate

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Bruna Quadros

O tema será analisado sob a perspectiva da proteção social e previdenciária dos servidores.

No dia 13 de agosto, o o tema será analisado sob a perspectiva da proteção social e previdenciária dos servidores.Instituto Humanitas Unisinos – IHU dá continuidade ao evento Conversas sobre o mundo de trabalho e a vida dos trabalhadores: as políticas de trabalho, emprego e renda na região do Vale dos Sinos. Desta vez,  Entre os debatedores, que estarão provocando uma análise reflexiva sobre o assunto, está a professora e especialista em Direito Previdenciário Rosângela Maria Herver dos Santos, integrante do corpo docente da Unisinos, no curso de Direito, e membro da Comissão Municipal de Emprego e Renda de São Leopoldo.

Ao conversar por telefone com a revista IHU On-Line, Rosângela salientou que o número de pessoas que, por motivo de doenças crônicas e irreversíveis ou pela falta de oportunidades no mercado de trabalho, cresce constantemente. Diante desta situação, “faltam medidas assistenciais para quem deixa de contribuir com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), devido às circunstâncias apontadas acima”, diz ela. Durante o evento, a professora irá abordar o reflexo desta situação, para a população mais carente, que sofre com o desamparo previdenciário. “Ao deixarem de contribuir, os trabalhadores perdem o direito à assistência, mas esta situação não pode continuar”, destaca.

De acordo com Rosângela, a saída para quem enfrenta esta realidade acaba sendo a aposentadoria por idade ou, ainda, ingressar com um processo por meios judiciais. “Muitas vezes, as pessoas acabam perdendo o benefício previdenciário por causa de doenças adquiridas no próprio ambiente de trabalho.” Estas e outras questões tentarão ser respondidas no evento, que será realizado na sala 1G119, junto ao Instituto Humanitas Unisinos – IHU, das 19h30 às 22h.

A atividade contará, ainda, com a coordenadora do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), de São Leopoldo, Carolina Cerveira; o titular da Secretaria Municipal de Assistência, Cidadania e Inclusão Social de São Leopoldo, Charles Pranke; e com o servidor da Previdência Social de Canoas Luiz Antônio Rocha, como participantes da discussão.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição