Edição 239 | 08 Outubro 2007

Che Guevara – Traços biográficos

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

Em 1928, na cidade de Rosário, na Argentina, nasceu Ernesto Che Guevara, filho do casal Celia e Ernesto Guevara. Aos doze anos de idade, em 1940, devido as fortes crises de asma, Che e a família mudaram-se para Córdoba, região central da Argentina. Com 19 anos, em 1947, Che ingressa na Faculdade de Medicina da Universidade de Buenos Aires.

As viagens de Che pela América Latina iniciaram em 1952, com o amigo Alberto Granado. Ambos percorreram 10.000 Km em uma moto. Nos oito meses de jornada, Che iniciou um diário, hábito que manteve até sua morte, no qual registrou as injustiças sociais que perceberá durante a vida. No ano seguinte, Che viajou pela Bolívia e seguiu para a Guatemala, onde conheceu sua primeira esposa, a peruana Hilda Gabea, que o apresentou, no ano seguinte, a Raúl Castro, no México.

Sua luta na Revolução iniciou em 1954, quando juntou-se aos irmãos Raúl e Fidel Castro, que organizavam movimentos guerrilheiros para derrubar o ditador cubano Fulgêncio Batista. Foi na ocasião que Guevara recebeu o apelido de “Che”. Assim, em 1959, Ernesto Guevara tornou-se cidadão cubano e assumiu a direção do Banco Central. Enquanto ministro de Cuba, Che introduziu o conceito de trabalho solidário, incentivando o povo cubano a se envolver na campanha de alfabetização. Assim, livrar o povo do analfabetismo seria uma conquista de toda a população.

Ainda neste ano, separou-se de Hilda Gabea e casou-se com Aleida March, com quem teve quatro filhos.

Nos anos 1960, a Revolução Cubana representou ameaça ao controle de Washington sob os países americanos. Em resposta às nacionalizações promovidas por Fidel, os Estados Unidos reduziram as importações do açúcar cubano, que foi comprado pela URSS. A declaração do caráter socialista da Revolução Cubana ocorreu em 1960, após a invasão da Baía dos Porcos, financiada por Washington, mas que não durou mais de 72 horas.

Em 1962, o mundo ficou à beira de uma guerra nuclear, com a instalação de mísseis nucleares, pela URSS, em Cuba. A crise só terminou quando os soviéticos removeram seus mísseis, e os Estados Unidos, suas ogivas da Turquia.

Decepcionado com os soviéticos, que relutavam em apoiar focos guerrilheiros na área de influência dos Estados Unidos, Che Guevara, em 1964, decide exportar a revolução para a Argentina, mas não obteve sucesso. Assim, partiu para o Congo em 1965, juntando-se à guerrilha iniciada por Laurent Kabila. Decepcionado com os colegas africanos, retornou a Havana, renunciando à cidadania cubana.

No ano seguinte, retornou a Bolívia com o intuito de lançar um movimento revolucionário no país. Um ano depois, foi cercado pelo Exército boliviano em Vallegrande. Em 8 de outubro, foi capturado e executado no dia seguinte. Com Che, morreu a tentativa a “criar dois, três Vietñas”. Apenas em 1997, os restos mortais de Che foram encontrados em Vallegrande. Ele foi sepultado em Santa Clara, Cuba.

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição