Edição 238 | 01 Outubro 2007

Editorial

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

Francisco. O santo

Francisco, um santo, mas também um homem com debilidades”, constata Chiara Frugoni, historiadora italiana e uma das maiores especialistas na vida de Francisco de Assis, cuja festa se celebra nesta semana, no dia 4 de outubro.

Leonardo Boff, autor do clássico São Francisco de Assis. Ternura e vigor, comenta as muitas facetas do santo, e constata que ele “representa um dos arquétipos da plena realização humana”. Segundo ele, Francisco é “a referência de um cristianismo despojado, alegre, reconciliado com as sombras e confraternizado com todos os seres”. E, de modo pertinente, atesta: “Enquanto nós somos velhos, ele é novo, mesmo tendo vivido mais de 800 anos antes de nós”.

Aldir Crocoli, frei capuchinho, professor na Escola de Teologia e Espiritualidade Franciscana – ESTEF -, de Porto Alegre, explica a luminosa espiritualidade de Clara de Assis, na longa e exaustiva entrevista sobre a vida de Francisco e Clara. Já o historiador italiano Grado Giovanni Merlo aponta Francisco como um santo de “tipo novo” e busca separar o homem Francisco de Assis daquele santo “descontextualizado, desvirilizado e projetado no universo do imaginário individual e coletivo” que temos hoje. O tema de capa culmina com uma entrevista com o José Alamiro Andrade Silva, frei franciscano, analisando a originalidade do santo de Assis.

André Gorz, um dos grandes intelectuais da atualidade que compreendeu a grande mutação do mundo do trabalho, morreu, no dia 24-09-2007. Nesta edição, o IHU, que repercutiu a sua obra, inclusive com uma entrevista publicada nos Cadernos IHU Idéias, no. 31, presta a sua homenagem a André Gorz entrevistando Ricardo Antunes, Josué Pereira da Silva, professores da Unicamp e André Langer, pesquisador do CEPAT, em Curitiba.

A teóloga Lúcia Weiler e os teólogos Luiz Carlos Susin refletem sobre as possibilidades e os limites de uma cristologia gaúcha.

O escritor Luiz Antonio de Assis Brasil comenta o filme Diário de um novo mundo, de Paulo Nascimento, baseado no seu livro Um quarto de légua em quadro, a ser exibido e debatido nesta semana no IHU e a Prof.ª Dr.ª Celia Doris Becker discorre sobre a representação dos povos indígenas na obra de Erico Verissimo.

Medos privados em lugares públicos, de Alain Resnais, é o filme da semana. Neste filme, “tudo é humano, tudo é simples e, ao mesmo tempo, surpreendente”.

A todas e todos uma ótima leitura e uma excelente semana!

Últimas edições

  • Edição 546

    Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

    Ver edição
  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição