Edição 212 | 19 Março 2007

Frases da semana

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

IHU Online

Síntese de frases publicadas nas Notícias do Dia do sítio do IHU

Lula e o ministério

“Acho que houve poucos momentos na história do Brasil, a não ser na época do regime militar, em que um presidente tinha a tranqüilidade de montar um governo que eu estou tendo” - Luiz Inácio Lula da Silva, presidente da República – O Estado de S. Paulo, 14-03-2007.

"Lula gastou o tempo que quis, do modo que quis, para emergir como inconteste dono da bola, para usar uma expressão que aprecia" - editorial sobre a reforma ministerial do jornal O Estado de S. Paulo, 16-03-2007.

"É inegável, seja como for, que o presidente fez a reforma ao seu compasso, conforme a lógica que lhe convinha e com estoques suficientes de mercurocromo para aplicar nos ferimentos dos frustrados" - editorial sobre a reforma ministerial do jornal O Estado de S. Paulo, 16-03-2007.

“Difundiu-se que o escolhido para a Agricultura é o maior produtor de sementes de soja. Que nada. O negócio mais produtivo de Odílio Balbinotti é um formidável laranjal. Feito com finalidades diversas, mas sempre de bons frutos financeiros, pela plantação de nomes de empregados seus como "laranjas". Em transações, é justo dizê-lo, que não discriminaram o próprio governo Lula” - Jânio de Freitas, jornalista – Folha de S. Paulo, 18-03-2007.

"Nomeado para o Ministério da Integração Nacional, o peemedebista Geddel Vieira Lima foi Integrante dos memoráveis "anões do Orçamento". Geddel Vieira Lima e sua família são hoje proprietários de várias fazendas. É isso o que mais depressa se aproxima, no Brasil, de desenvolvimento agrário" - Jânio de Freitas, jornalista – Folha de S. Paulo, 18-03-2007.

Os heróis, segundo Lula

“Quando fico vendo os ministros, que ganhavam muito bem, virem ganhar R$ 7 mil, R$ 8 mil, eu falo: esses são heróis” – Luiz Inácio Lula da Silva, presidente da República – O Globo, 17-03-2007.

“Não posso reclamar do meu salário de R$ 8.000. Não tem nenhum torneiro mecânico no País que ganha isso por mês” – Luiz Inácio Lula da Silva, presidente da República – O Estado de S. Paulo, 17-03-2007.

O segundo mandato

"Lula governa apenas a economia. O resto é quase só resto" - Vinicius Torres Freire, jornalista - Folha de S. Paulo, 16-03-2007.

"O segundo mandato é muito mais avançado do que o primeiro. O Plano de Aceleração do Crescimento é um sinal de maior mudança na área econômica" - Maria do Rosário, deputada federal pelo PT-RS - Zero Hora, 16-03-2007.

“A desenvoltura de Lula é incomum para presidentes em segundo mandato. Em geral, depois da reeleição, os políticos se fragilizam. Param de exalar perspectiva de poder. Com o petista ocorre o oposto: parece hoje mais à vontade e forte do que em 2003, quando tomou posse pela primeira vez” – Fernando Rodrigues, jornalista – Folha de S. Paulo, 17-03-2007.

Tucanos

"O legado de três governos estaduais é um desastre, prova de que a prioridade tucana para o ensino não gerou projeto coerente. Não resta dúvida, porém, de que sua obra conjunta (tucana) se resume a um retumbante fracasso” – editorial do jornal Folha de S. Paulo, 15-03-2007.

Papa é pop!

"O papa Bento 16 disse que segundo casamento é uma praga. Há controvérsias. Tem gente que acha que é só burrice" - Tutty Vasques, humorista – No Mínimo, 15-03-2007.

"Papa diz que segundo casamento é praga. Não é praga, é reincidência. Se casamento fosse bom, não tinha testemunha" - José Simão, humorista - Folha de S. Paulo, 15-03-2007.

"O papa é contra os gays, contra as feministas, contra a camisinha, contra transar antes do casamento e contra o rock. Ou seja: quero ser católico, mas o papa não deixa" – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 15-03-207.

"E sabe qual é a diferença entre casamento e prisão? É que na prisão te deixam jogar bola!" - José Simão, humorista - Folha de S. Paulo, 16-03-2007.

“Se o casamento é instituição falida para os heterossexuais, imagina para os gays" - Clodovil Hernandes, deputado federal pelo PTC-SP, deixando claro que não vai levantar bandeiras de minorias - O Estado de S. Paulo, 18-03-2007.

“Aquela história de "ela é a outra metade da minha laranja" e "ele é minha cara-metade" não convence, porque duas meias caras podem fazer uma bela cara, duas meias laranjas podem fazer uma bela laranjada, mas duas meias pessoas não fazem um casal. Um casal precisa ter duas pessoas inteiras e diferentes uma da outra” - Lidia Rosenberg Aratangy, psicóloga  - Veja, 21-03-2007.

Últimas edições

  • Edição 551

    Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

    Ver edição
  • Edição 550

    Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

    Ver edição
  • Edição 549

    Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

    Ver edição