Edição 514 | 30 Outubro 2017

Economia política aristotélica: cuidando da casa, cuidando do comum

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

A edição 265 do Cadernos IHU Ideias, publicado pelo Instituto Humanitas Unisinos – IHU, apresenta o texto Economia política aristotélica: cuidando da casa, cuidando do comum, de Armando de Melo Lisboa, doutor em Sociologia Econômica pela Universidade Técnica de Lisboa, mestre em Sociologia Política e graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, onde atualmente leciona.

Clássica e protocolarmente, as discussões genealógicas sobre “Economia” mencionam a origem etimológica grega de “Economia”, destacando de maneira ligeira Aristóteles e sua célebre distinção entre “oikonomia” e “crematística”. Comumente então se informa sobre o caráter embrionário e ralo das suas considerações, indicando a inexistência nele de uma análise econômica propriamente dita.

Este texto examina criticamente a abordagem econômica feita por Aristóteles, sugerindo haver ricos elementos na mesma que a configuram com um padrão próprio e consistente, muito diferenciado dos estreitos limites modernos em que tanto a análise econômica quanto a análise política foram enquadradas.

Acesse versão completa do artigo.

Esta e outras edições do Cadernos IHU Ideias também podem ser obtidas diretamente no Instituto Humanitas Unisinos – IHU, no campus São Leopoldo da Unisinos (Av. Unisinos, 950), ou solicitadas pelo endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Informações pelo telefone (51) 3590–8213.

Últimas edições

  • Edição 551

    Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

    Ver edição
  • Edição 550

    Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

    Ver edição
  • Edição 549

    Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

    Ver edição