Edição 479 | 21 Dezembro 2015

Calendário 2016

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Leslie Chaves

Calendário de eventos do IHU já está repleto de atividades para 2016

O Instituto Humanitas Unisinos – IHU apresenta uma série de eventos programados para 2016. São conferências, ciclos de estudos, debates e oficinas, que contará com as contribuições de professores, pesquisadores e especialistas, nacionais e internacionais, que debaterão tema de diversas áreas. 

Confira os eventos que abrem a agenda de 2016.

 

Ciclo de atividades O cuidado de nossa Casa Comum

No período da Páscoa, tradicionalmente, o Instituto Humanitas Unisinos – IHU promove uma série de atividades acadêmicas a respeito de assuntos da atualidade. Em sua 13ª edição, neste ano a programação pascal terá como fio condutor o tema do “cuidado da nossa Casa Comum”, numa abordagem transdisciplinar sobre crise ambiental, ecologia integral, gestão ambiental, teologia da criação e sobre diferentes iniciativas voltadas para o cuidado do meio ambiente e sustentabilidade.

De 21 de março a 09 de maio serão promovidas conferências e mesas temáticas sobre ecologia, ética ambiental, ecoteologia, teologia da criação e mudanças climáticas; exposições de fotografias e estudos sobre questões ambientais do Vale do Rio dos Sinos; ciclos de estudos em Educação a Distância - EAD; publicação impressa e digital de um número especial da Revista IHU On–Line, de Cadernos IHU ideias, Cadernos Teologia Pública, bem como publicação de entrevistas e notícias sobre o mesmo tema no sítio do IHU.

Mais informações no site

 

Ciclo de Estudos em EAD: Sociedade Sustentável – Edição 2016

O Ciclo de Estudos em Educação a Distância - EAD Sociedade Sustentável, através de um debate transdisciplinar e sistêmico, busca relacionar as crises ecológica, energética, financeira, climática e alimentar, para, a partir delas, caracterizar a crise civilizacional que o mundo vem enfrentando, como parte do processo de esgotamento do capitalismo. A partir dessas discussões a ideia é identificar os fatores causadores em comum, a fim de pensar em novas possibilidades para a vida em sociedade, questionando a ideia de desenvolvimento. No Ciclo também será abordada a encíclica papal Laudato Si’, que trata justamente do cuidado da “casa comum”.

Os debates ocorrem de 30 de março a 08 de junho. Mais informações no site

 

3º Ciclo de Estudos Metrópoles, Políticas Públicas e Tecnologias de Governo. Territórios, governamento da vida e o comum

Partindo das contribuições das duas edições anteriores, que oportunizaram mapear, problematizar e colocar em diálogo as diferentes perspectivas, limites e possibilidades dos grandes centros urbanos, o 3º Ciclo de Estudos Metrópoles busca aprofundar a reflexão e operacionalização dos relevantes conceitos que emergiram nos debates.

Assim, compreender os diferentes conceitos de comum, as concepções acerca da multidão e, ainda, conceitos como poder constituinte, tempos múltiplos, dentre outros, são alguns dos esforços envolvidos na tarefa de (re)pensar as metrópoles e suas potencialidades. O objetivo é compreender melhor essa realidade e também projetar possibilidades que possam contribuir para o ser em comum – para uma sociedade sustentável. 

As conferências serão promovidas de 13 de abril a 06 de junho. Mais informações no site

 

Economia brasileira: onde estamos e para onde vamos? Um debate com os intérpretes do Brasil 

Verifica-se que, ao longo do tempo, vários pensadores vislumbraram o Brasil como uma nação com ideias próprias e debateram sobre políticas econômico-sociais para o seu desenvolvimento, alguns deles considerando fortemente os aspectos sociais, além dos meramente econômicos. No entanto, ainda é comum lermos e ouvirmos no quotidiano que o Brasil não tem um projeto de País, que é um dos países mais desiguais do mundo em termos de acesso a bens, serviços e cultura, que é um País dependente da economia externa, que está submetido à lógica dos países centrais do capitalismo, enfim, que não tem uma política econômica e social própria.

A partir da promoção do debate sobre as principais ideias e implicações do pensamento econômico de autores brasileiros, o Ciclo de Debates Economia Brasileira busca discutir as possibilidades e os limites dessas ideias na contribuição para o avanço da formação de uma “economia brasileira”, que considere a realidade presente, tanto em aspectos econômicos e sociais, quanto ecológicos. Neste sentido, no Ciclo serão abordadas obras de autores que têm contribuições ao pensamento econômico brasileiro contemporâneo, tais como Celso Furtado, Eugênio Gudin, Bresser-Pereira, Maria da Conceição Tavares e Reinaldo Gonçalves. 

Os debates acontecem entre 13 de abril e 06 de junho. Mais informações no site.

Últimas edições

  • Edição 551

    Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

    Ver edição
  • Edição 550

    Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

    Ver edição
  • Edição 549

    Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

    Ver edição