Edição 475 | 19 Outubro 2015

Linha do Tempo

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

A IHU On-Line apresenta seis notícias publicadas no sítio do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, entre os dias 12-10-2015 e 16-10-2015, relacionadas a assuntos que tiveram repercussão ao longo da semana

1% da população mundial concentra metade de toda a riqueza do planeta

2015 será lembrado como o primeiro ano da série histórica no qual a riqueza de 1% da população mundial alcançou a metade do valor total de ativos. Em outras palavras: 1% da população mundial, aqueles que têm um patrimônio avaliado em 760.000 dólares (2,96 milhões de reais), possuem tanto dinheiro líquido e investido quanto o 99% restante da população mundial.

A reportagem é de Ignacio Fariza e publicada por El País, 14-10-2015.

Essa enorme disparidade entre privilegiados e o resto da Humanidade, longe de diminuir, continua aumentando desde o início da Grande Recessão, em 2008. A estatística do Credit Suisse, uma das mais confiáveis, deixa somente uma leitura possível: os ricos sairão da crise sendo mais ricos, tanto em termos absolutos como relativos, e os pobres, relativamente mais pobres.

 

Guarani e Kaiowá – Os condenados desta terra

A omissão do Estado brasileiro em cumprir os direitos indígenas estabelecidos na Constituição Federal em 1988, que previu a homologação e a demarcação das terras indígenas, e o atraso na identificação destas terras permite que a violência se perpetue e se converta em genocídio do povo Guarani e Kaiowá. O comentário é de Neimar Machado de Sousa, em artigo publicado pelo portal do Cimi, 15-10-2015.

Confira um trecho do artigo.

A lista de violações de direitos dos povos indígenas no estado de Mato Grosso do Sul é tão grave e extensa que pode ser classificada em diversas categorias: insegurança alimentar; remoção dos territórios tradicionais para as reservas indígenas; violência contra a mulher nas áreas de retomada e nas reservas, criadas pelo Governo Brasileiro; contaminação por agrotóxicos; intolerância religiosa; assassinato; trabalho escravo; exploração sexual; crianças fora da escola e sem atendimento médico, isto num contexto demográfico em que 45% dos Guarani e Kaiowá, neste estado, têm menos de 17 anos de idade.

 

O ataque contra Francisco: a carta dos 13, mas não só. Artigo de Massimo Faggioli

O Papa Francisco teve que lidar com os golpistas de verdade na Argentina, e é de se duvidar que ele se deixe intimidar por alguns cardeais. O verdadeiro problema é que Francisco reabriu, sobre muitas questões de disciplina e de vida da Igreja, um debate que os signatários da carta consideravam encerrado para sempre. A análise é do historiador italiano Massimo Faggioli. O artigo foi publicado no sítio L'HuffingtonPost.it, 13-10-2015. 

Confira um trecho.

O caso da carta dos cardeais para Francisco, divulgada na segunda-feira, 12 de outubro de 2015, deve ser considerado por aquilo que é. Não é uma questão de mérito ou de método sobre os trabalhos do Sínodo, mas um ataque à legitimidade da direção imprimida à Igreja pelo Papa Francisco e, em seguida, um ataque contra o próprio papa.

 

Castells: as grandes mudanças apenas começaram

Num texto traduzido por “Outras Palavras”, e que pareceu para alguns espantoso, o sociólogo Immanuel Wallerstein sustentou, há dias: vivemos, em plano global, um giro – ainda que leve – à esquerda. Na entrevista a seguir, este pensamento é complementado por outro sociólogo. O catalão Manuel Castells diz que é cedo demais para chorar a suposta “morte” da série de grandes rebeliões iniciadas em 2011: Primaveras Árabes, Indignados (Espanha), Occupy (EUA), Parque Gezy (Turquia), Jornadas de Junho (Brasil) e outras. A entrevista é de Alex Rodriguez, publicada por Outras Palavras, 13-10-2015.

Confira um trecho.

Estamos começando uma nova era?

Em termos tecnológicos, econômicos e culturais, começamos faz tempo. Agora iniciamos uma nova era em termos políticos e institucionais.

 

E se o “egoísmo humano” for um mito interesseiro?

Novas pesquisas sugerem: nossa espécie é majoritariamente colaborativa, altruísta e solidária. Ideia da ganância coletiva pode ser projeção ideológica dos que concentram poder e capital. O artigo é de George Monbiot, jornalista e ambientalista inglês, publicado por Outras Palavras, 14-10-2015. 

Confira um trecho.

Você se debate contra os sinais de indiferença e egoísmo humanos? Sente-se oprimido pela sensação de que, enquanto se preocupa com o mundo, ao contrário de muitos outros? Julga que a indiferença de pessoas iguais a você está esvaziando o que resta da civilização e da vida na Terra? Se assim é, você não está sozinho. Mas também não está certo.

 

Por Dilma, Lula aciona PT em busca de acordo para salvar mandato de Cunha

O Palácio do Planalto e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva intensificaram ontem as articulações para salvar o mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Conselho de Ética. A moeda de troca nesse jogo é a garantia de que Cunha não avançará nenhuma casa no tabuleiro rumo à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A reportagem é de Vera Rosa e Tânia Monteiro, publicada no jornal O Estado de S. Paulo, 15-10-2015.

Lula desembarcou ontem em Brasília e vai se reunir hoje novamente com Dilma. O ex-presidente quer que deputados do PT fechem acordo com outros partidos da base aliada para barrar a investigação contra Cunha, no Conselho de Ética, por quebra de decoro parlamentar.

Últimas edições

  • Edição 551

    Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

    Ver edição
  • Edição 550

    Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

    Ver edição
  • Edição 549

    Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

    Ver edição