Edição 474 | 05 Outubro 2015

Ano Internacional da Luz. Descobertas e incertezas

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Redação

A Unesco, juntamente com outras entidades de âmbito global, declarou o ano de 2015 como o Ano Internacional da Luz. A data celebra os mil anos da obra de Abu Ali al-Hasan Ibn Al-Haitham, ou Alhazen, na forma latinizada (965-1040), que escreveu em 1015 a obra Kitab al-Manazir, seu livro de ótica. Neste ano completa-se, também, o centenário da publicação do célebre texto de Albert Einstein sobre a Teoria da Relatividade Geral. O centenário da importante descoberta de Einstein é que suscita o debate da edição desta semana da revista IHU On-Line.
Imagem da Capa: Nebulosa de Hélix/Reprodução Wikipedia

Contribuem para o debate Carlo Rovelli, professor no Centro de Física Teórica da Universidade de Marseille, na França, que apresenta o universo a partir de sua grande e invisível beleza, a física quântica. “Acho que os ensinamentos mais importantes da física são que não devemos acreditar muito na intuição direta: devemos estar prontos para mudar a mente”, pondera.

Aba Cohen, professor e pesquisador da Universidade Federal de Minas Gerais, faz um recorrido teórico e conceitual a respeito da física e nos convida a pensar sobre nossa insignificância cósmica. “Cada vez mais nos convencemos de que somos habitantes de um ínfimo planeta perdido no espaço de um Universo que se desintegrará no infinito”, defende.

Trevor Lipscombe, diretor de imprensa na Catholic University of America Press, em Washington, EUA, e biógrafo, faz um recorrido histórico da vida de Albert Einstein, um dos principais nomes da física de todos os tempos que revolucionou nosso modo de compreender o mundo.

Marcelo Gleiser, professor de Física na Dartmouth College, em Hanover, nos EUA, comenta sobre as descobertas e incertezas em torno dos estudos sobre a física e as propriedades da Luz. “Somos criaturas da luz, evoluímos num planeta banhado por ela”, define.

Gian Giúdice, pesquisador que trabalha no European Organization for Nuclear Research – CERN como físico de partículas e cosmólogo, retoma o debate sobre o bosón de Higgs e comenta os avanços científicos após a comprovação da subpartícula. “O bóson de Higgs é o som emitido pela própria estrutura do espaço. É o som do nada”, explica.

Sérgio Novaes, pesquisador brasileiro e integrante da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear – CERN, faz uma análise ampla sobre as partículas elementares e fala sobre o Ano Internacional da Luz. “A iniciativa visou principalmente aumentar a consciência global sobre como a luz e suas tecnologias associadas podem ser capazes de promover o desenvolvimento sustentável”, avalia.

Carlos Roberto dos Santos, professor convidado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, destrincha as propriedades de Luz e discorre sobre os avanços tecnológicos ocorridos a partir da fotônica. “Cabe destacar que a fotônica surgiu por causa da invenção do laser, um dispositivo que revolucionou várias áreas, entre as quais as da saúde”, esclarece.

Por ocasião do quinto centenário do nascimento de Teresa de Ávila, que se celebra no próximo dia 15 de outubro, publicamos as entrevistas A feminilidade da mística em Teresa d’Ávila, de Faustino Teixeira; e Teresa d’Ávila. A presença na ausência, de Luciana Barbosa.

As duas entrevistas podem ser lidas tendo presente a revista IHU On-Line, no. 460, sob o título A mística nupcial. Teresa de Ávila e Thomas Merton, dois centenários.

Por ocasião da festa de São Francisco de Assis, reproduzimos a entrevista concedida à IHU On-Line por Leonardo Boff, publicada nas Notícias do Dia, 04-10-2015, na página do IHU.

Complementam esta edição as entrevistas com Sandro Chignola, professor de Filosofia Política na Universidade de Pádua, Itália, sobre antropologia social como maneira de pensar os sujeitos e o comum; com Luís Rubira, autor de um livro que analisa sete álbuns de Ramil, de Estrela, Estrela a Longes, em que aborda uma espécie de “desconstrução” que o artista pelotense vivenciou enquanto indivíduo e músico.

Completam esta edição as entrevistas com Joviano Gabriel Maia Mayer, mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais, sob o título Do privado ao Comum, práticas de uma reforma urbana radical, refletindo sobre os processos de resistência urbana em Belo Horizonte, e com Laércio Pilz, professor da Unisinos, sob o título Viver para além dos padrões. E o artigo de Carla Holand, A Primavera Árabe que se tornou Outono: o caso da Síria e suas implicações – para onde vamos?, para a editoria Crítica Internacional – Curso de RI da Unisinos.

A todas e a todos uma boa leitura e uma ótima semana!

Últimas edições

  • Edição 551

    Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

    Ver edição
  • Edição 550

    Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

    Ver edição
  • Edição 549

    Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

    Ver edição