Edição 497 | 14 Novembro 2016

Educação, indivíduo e biopolítica: A crise do governamento

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

O número 247 do Cadernos IHU ideias traz o artigo de Dora Lilia Marín-Díaz, da Universidad Pedagógica Nacional de Bogotá, na Colômbia, com o título Educação, indivíduo e biopolítica: a crise do governamento

Na apresentação do texto, a autora destaca que “os procedimentos de exercitação usados pelos humanos há muitos séculos, para tentarmos saber de nós mesmos e aperfeiçoarmos nossos modos de existência, adotaram novas formas em função dos propósitos de sucesso e felicidade que aparecem como centrais nas formas de governamento neoliberal”.  Assim, Dora se propõe a explorar “os modos como tais asceses – chamadas por Sloterdijk ‘antropotécnicas’ – teriam funcionado e funcionam nas sociedades atuais” manifestadas nas práticas educativas. Para ela, “esses modos de governamento biopolíticos, de controle e gestão da vida individual, teriam seu contraponto em outras condutas que se orientam para práticas coletivas e de responsabilização social”.

Acesse o artigo, em versão PDF.

Esta e outras edições dos Cadernos Teologia Pública podem ser obtidas diretamente no Instituto Humanitas Unisinos – IHU, no campus São Leopoldo da Unisinos (Av. Unisinos, 950), ou solicitadas pelo endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Informações pelo telefone 55 (51) 3590-8213.

Últimas edições

  • Edição 505

    Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

    Ver edição
  • Edição 504

    Pier Paolo Pasolini Um trágico moderno e sua nostalgia do sagrado

    Ver edição
  • Edição 503

    A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho

    Ver edição