Edição 468 | 29 Junho 2015

Laudato Si’: interpretações e chaves de leitura

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

João Vitor Santos e Ricardo Machado

Na manhã de 18 de junho, foi publicada a Carta Encíclica do Papa Francisco Laudato si’ sobre o cuidado da casa comum”. O título, Laudato Si’, é tomado do Cântico das Criaturas de São Francisco de Assis.

O texto é apresentado em 192 páginas, agrupados em 246 parágrafos, que funcionam como uma espécie de versículos, cujos conceitos são melhor elucidados pelas 172 notas de rodapé que compõem o documento apostólico, oferecendo uma chave de leitura mais ampla. Inspirada pela metodologia da Teologia da Libertação, a Encíclica divide-se em seis capítulos, divididos em Ver – Capítulo 1; Julgar – Capítulos 2, 3 e 4; e Agir – Capítulos 5 e 6.

A questão de fundo da Encíclica versa em torno do conceito de ecologia integral, que relaciona as ações do ser humano como um todo. No conceito agir “ecologicamente” não se trata somente de proteger animais e plantas, mas, sim, ter uma postura misericordiosa diante do próximo. O que se apresenta, portanto, é uma preocupação integral com o outro, no sentido mais amplo do termo. A abordagem de Laudato Si’ coloca em causa a perspectiva antropocêntrica, reposicionando o debate sobre o planeta Terra, compreendo-o como “a casa de todos, um bem comum”.

A íntegra da encíclica está disponível em português no sítio do Vaticano (disponível no link http://bit.ly/1Lhax37). Desde o dia do anúncio do documento apostólico, o sítio do IHU vem publicando uma série de análises e interpretações. Diante desta conjuntura, a IHU On-Line apresenta um guia de leitura para auxiliar na compreensão da Encíclica e ampliar a reflexão e o debate em torno do tema.

 

Laudato si': a íntegra e um "guia" para a leitura da Encíclica

Nas Notícias do Dia do sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, há um amplo texto que oferece suporte para uma primeira leitura da Encíclica, ajudando a compreender o seu desenrolar na totalidade e a identificar as linhas principais. 

 

Ecologia integral. A grande novidade da Laudato Si'. "Nem a ONU produziu um texto desta natureza''

A entrevista especial com Leonardo Boff discute o documento apostólico, sublinhando o conceito de ecologia integral. “A ecologia integral é o ponto central da construção teórica e prática da Laudato Si’. Receio que ela não seja entendida pela grande maioria, colonizada mentalmente apenas pelo discurso antropocêntrico de ambientalismo", afirma o teólogo e escritor. 

 

“A Laudato Si’ é, talvez, o ato número 1 de um apelo para uma nova civilização”

Edgar Morin, em entrevista publicada nas Notícias do Dia, no sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, afirma que “O verdadeiro humanismo é aquele que vai dizer que eu reconheço em todo ser vivo ao mesmo tempo um ser semelhante e diferente de mim”.

 

Laudato Si’ – Prestemos atenção às notas de rodapé

"Além de quebrar a tradição ao citar textos de conferências nacionais, o Papa Francisco lança mão de uma gama de pensadores católicos. Ele cita oito vezes Romano Guardini, sacerdote e teólogo influente (1885-1968)", escreve Kevin Ahern, eticista teológico e professor assistente de Estudos Religiosos na Manhattan College, em artigo publicado pelo sítio America, e reproduzido nas Notícias do Dia do IHU.

 

Para ambientalistas, encíclica de Francisco é um ‘presente’

Ambientalistas encaram a encíclica Laudato Si’ – Sobre o Cuidado da Casa Comum, apresentada quinta, 18, pelo papa Francisco, como um “presente” que deve alavancar ainda mais as discussões de todo o mundo sobre a urgência da preservação da natureza. A 298ª encíclica da História da Igreja Católica é a primeira que traz a questão ambiental em seu cerne. 

 

O núcleo teológico de Laudato Si’

"O Papa proporcionou o primeiro grande ensino papal sobre o planejamento urbano, observando, por exemplo, a necessidade de se cuidar dos espaços comuns, dos marcos visuais e das estruturas urbanas que melhoram o nosso sentido de pertença, a nossa sensação de enraizamento, o nosso sentimento de ‘estar em casa’ dentro da cidade que nos envolve e une", escreve David Cloutier, professor de teologia moral e Ensino Social da Igreja na Mount St. Mary’s University (MD), em artigo publicado nas Notícias do Dia do IHU.

 

Papa defende a ecologia e ataca a ideologia de gênero: uma contradição ou uma escolha?

É mais fácil que um papa e a Igreja aceitem o progressismo social do que a mudança das relações entre os humanos. Ele pode aceitar, na misericórdia, os homossexuais, mas não a comunidade LGBT. Pode falar do valor das mulheres, criticar a violência contra elas, mas não reconhecer a sua autodeterminação.

 

A ecologia integral do Papa Francisco

“A mudança indicada é a mudança de um antropocentrismo explorador para um biocentrismo participativo. Esta mudança requer algo além do ambientalismo, que permanece sendo antropocêntrico enquanto tenta limitar os efeitos deletérios da presença humana no meio ambiente”, escreve Dave Pruett, ex-pesquisador da NASA, professor emérito de Matemática da James Madison University, Virgínia (EUA), publicado nas Notícias do Dia do IHU. 

 

Laudato si': um desafio para os poderosos do mundo

Marcelo Sánchez Sorondo, em entrevista publicada nas Notícias do Dia do IHU, defende que “A nova encíclica é um verdadeiro desafio para os poderosos do mundo. Nós, naturalmente, sabemos que o petróleo é uma fonte fundamental para as multinacionais. Mas confiamos que o pensamento do pontífice pode incidir sobre as pessoas”. 

 

Secretário-geral da ONU elogia encíclica papal que destaca mudanças climáticas como “questão moral” fundamental

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas Ban Ki-moon saudou o lançamento da encíclica do Papa Francisco, documento onde o líder da Igreja Católica fala das mudanças climáticas como um dos principais desafios que a humanidade enfrenta e convida a todos para um “diálogo renovado” sobre como está sendo construído o futuro do nosso planeta.

 

Ban Ki-Moon visita o Papa Francisco para tratar da encíclica sobre o meio ambiente

O secretário-geral da ONU Ban Ki-Moon estará no Vaticano, no próximo dia 28, para se encontrar com o Papa Francisco. Durante a visita, as conversas dos dois líderes estarão centradas sobre o meio ambiente, ou mais exatamente: os problemas colocados pelas mudanças climáticas e a resposta que a comunidade internacional deve produzir caso deseje conter o fenômeno que está, mais do que nunca, ampliando as crises sociais, as guerras e a imigração. 

 

''Tudo está interligado'': uma leitura comunicacional da Laudato si'

Em uma perspectiva geral, a Laudato si' tem uma visão ecológica da comunicação, reconhecendo-a inclusive como parte de um âmbito transcendente e não a restringindo meramente a uma prática social ou ao uso de aparatos tecnológicos. A análise é do jornalista Moisés Sbardelotto, mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela Unisinos. 

 

O clima definitivamente entrou na pauta global

"A outra boa notícia veio do Vaticano e eis que mais uma vez o Papa Francisco surpreende e renova o seu empenho em falar sobre problemas contemporâneos. Desta feita em sua primeira encíclica – 'Laudato si’' (Louvado sejas), ele cita o Patriarca Ecumênico Bartolomeu", escreve Reinaldo Canto, jornalista especializado em Sustentabilidade e Consumo Consciente e pós-graduado em Inteligência Empresarial e Gestão do Conhecimento, em artigo reproduzido nas Notícias do Dia do IHU.  

 

Laudato Si’. A encíclica do Papa Francisco cita um sábio muçulmano e Teilhard de Chardin

Uma leitura atenta da última encíclica do Papa Francisco reserva às almas atentas detalhes que reservam algumas surpresas mordazes. O texto do Papa Francisco reserva algumas vultosas surpresas nas citações que introduz: o Pe. Teilhard de Chardin fez uma majestosa entrada, assim como um famoso sábio muçulmano, o sufi Ali Al-Khawwas. Os católicos tradicionalistas “buzinaram”. A reportagem é de Michel Danthe reproduzida nas Notícias do Dia do IHU. 

 

Laudato Si’. Uma “Contemplatio” inspiradora

"Afirmação da encíclica sobre a vida como uma teia de existência multidimensional inter-relacionada articula e eleva as diversas cosmologias místicas da sustentabilidade dos indígenas e das comunidades da Ásia, da África e da América Latina rurais", escreve Jojo M. Fung, membro da região que compreende a Companhia de Jesus na Malásia e em Singapura, professor assistente de Teologia Sistemática na Loyola School of Theology nas Filipinas, em artigo reproduzido nas Notícias do Dia do IHU. 

 

Laudato Si’ é inspiração aos que querem fazer parte da solução

"O papa expressa a profunda preocupação com que muitas injustiças econômicas baseadas no mercado, junto da degradação ambiental, têm os seus impactos mais graves recaindo sobre pobres e vulneráveis", comenta Tony Magliano, jornalista, colunista de temas de justiça social e paz, em artigo reproduzido nas Notícias do Dia do IHU.

 

>> Veja também os Cadernos de Teologia Pública que dialogam com o tema de Encíclica.

- Perdendo e encontrando a criação na tradição cristã. Cadernos Teologia Pública de Elizabeth A. Johnson, 57ª edição;

- O Deus vivo em perspectiva cósmica. Cadernos Teologia Pública de Elizabeth A. Johnson, 51ª edição;

- Eucaristia e Ecologia. Cadernos Teologia Pública de Denis Edwards, 52ª edição;

- Da possibilidade de morte da Terra à afirmação da vida. A teologia ecológica de Jürgen Moltmann. Cadernos Teologia Pública de Sérgio Lopes Gonçalves, 23ª edição;

- Deus e a criação em uma era científica. Cadernos Teologia Pública de William R. Stoeger, 59 edição.

Últimas edições

  • Edição 505

    Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

    Ver edição
  • Edição 504

    Pier Paolo Pasolini Um trágico moderno e sua nostalgia do sagrado

    Ver edição
  • Edição 503

    A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho

    Ver edição