Edição 405 | 22 Outubro 2012

Adalberto da Rocha Heck

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Thamiris Magalhães

“Determinado, trabalhador e bem intencionado” – Assim se define o coordenador do curso de Arquitetura da Unisinos, Adalberto da Rocha Heck. Trabalhando há 17 anos na Unisinos, o docente diz enfaticamente que está aqui porque faz o que gosta. “E gosto demais de trabalhar nesta universidade”. Lecionando há 34 anos, Adalberto já foi secretário de município em Porto Alegre, na gestão do prefeito Olívio Dutra, e assessor arquiteto em gabinete do prefeito, diretor-geral, diretor financeiro e administrativo da Câmara Municipal de Porto Alegre. “Tenho uma longa trajetória na área de gestão pública”, conta. Seu maior sonho é ver sua família bem. “Depois, no campo profissional, desejo realmente que consigamos levar a cabo todos os movimentos que temos feito aqui na Unisinos, no sentido de que o curso se destaque sempre e seja reconhecido por sua excelência”. Conheça um pouco mais suas vivências.

Origem – Nasci em 16 de agosto de 1955. Sou natural de Cachoeira do Sul-RS, onde vivi até os meus 15 anos. Naquela época, tínhamos que sair de lá, pois não havia oportunidade de seguir nos estudos. Então, mudei-me para Porto Alegre onde resido até hoje. Sou casado com a Denise, psicanalista e orientadora, há 17 anos. Tenho quatro filhos: a Fernanda, psicóloga; o Marcelo, arquiteto; e duas filhas que ganhei na vida, em meu casamento com Denise, a Paula e Patrícia, advogadas. Trabalho há 36 anos na profissão de arquiteto. Meu pai era médico e minha mãe era artista plástica e professora. Ambos são falecidos. De certa forma, estão sempre vivos dentro de mim. Tenho quatro irmãos, três homens e uma mulher.

Autodefinição – Sou determinado, trabalhador e bem intencionado.

Carreira profissional – Comecei trabalhando no governo do estado do Rio Grande do Sul, junto ao planejamento e organização dos distritos industriais. Depois ingressei na prefeitura municipal de Porto Alegre, onde trabalhei como arquiteto. Estou concluindo minha carreira junto à prefeitura onde trabalhei como arquiteto e urbanista: planos diretores, projetos urbanos, atividades de gestão pública. Naturalmente, tenho todo um investimento no mundo acadêmico, o que acabou me trazendo para essa vivência privilegiada na Unisinos. Trabalho nesta instituição há 17 anos e com docência há 34. Comecei a lecionar com 23 anos no curso de graduação em Arquitetura.

Formação – Graduei-me na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS em 1978; em 1979 fiz especialização em Planejamento Urbano e Regional pelo Programa de Pós-Graduação em Urbanismo na mesma instituição. Em 19851986, fiz mestrado na Universidade Dortmund, Instituto de Planejamento Urbano, na Alemanha, na área de Planejamento Urbano e Regional. Neste momento, eu já lecionava e trabalhava na prefeitura. Tive que me licenciar para fazer este curso fora. Quanto retornei, assumi várias funções públicas e de gestão na prefeitura da capital. Fui secretário de município em Porto Alegre, assessor arquiteto do gabinete do prefeito Olívio Dutra, diretor-geral, diretor financeiro e administrativo da câmara de vereadores da capital (Porto Alegre). Tenho uma boa trajetória na área de gestão pública. Depois, fiz mestrado em Educação, na Unisinos, em 2001-2002, que muito me honra. Foi uma experiência muito valiosa para minha atuação junto à universidade.

Coordenação de curso – Em 2006, assumi a coordenação do curso de Arquitetura e Urbanismo aqui na Unisinos. Também coordeno curso de Especialização em Gestão de Cidades. Estou aqui porque faço o que gosto. E gosto demais de trabalhar nesta universidade.

Lazer – Trabalho nos três turnos há 30 anos. Então, nas horas livres gosto muito de ler, descansar e adoro cozinhar. Reunir a família, os amigos e fazer uma boa refeição. Não sou atleta e nem gosto muito de exercícios físicos. Eventualmente, quando dá, curto viajar também.

Livro – Gosto muito, se romance, Milan Kundera; se filosofia/sociologia, Bourdieu. Agora, se você me perguntar de qual livro gostei mais, não saberei dizer. Depende muito do dia, do momento. Gostei muito de muitos livros. E nada de alguns.

Filme – Nós. Que nos amávamos tanto, de Ettore Scola. Gosto muito de todos os filmes de Fellini. Acho que ele toca em nossa alma. Esses dias assisti a um filme francês - Os intocáveis – e achei maravilhoso também.

Sonho – Tenho vários sonhos. Meu primeiro sonho passa sempre pela minha família: sonho em tê-los bem. Depois, no campo profissional, desejo realmente que consigamos levar a cabo todos os movimentos que temos feito aqui na Unisinos, no sentido de que o curso se destaque pela qualidade.

Religião – De origem, sou católico. Acredito muito nas boas intenções e nas boas pessoas. Tenho espiritualidade, religião não sei bem qual é.

Unisinos – É o meu projeto de vida atual, do ponto de vista profissional. Vejo na Unisinos um campo muito fértil para quem se dispõe a construir projetos e tocar as coisas para frente. A instituição é potente neste aspecto. As pessoas que tiverem boas ideias, força e disposição para levar essas ideias adiante encontrarão na Unisinos o melhor lugar para trabalhar. Tem uma estrutura muito boa. É uma instituição séria.

 

Últimas edições

  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição
  • Edição 543

    Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

    Ver edição
  • Edição 542

    Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

    Ver edição