Edição 342 | 06 Setembro 2010

Ajuda para reverter as mudanças climáticas

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Moisés Sbardelotto

Em setembro, pessoas, organizações civis e igrejas se unem pela proteção do meio ambiente e pela conscientização sobre as mudanças climáticas. O “Tempo da Criação”, período de oração promovido pelas Igrejas cristãs, começou no dia 1º de setembro e irá se estender até o dia 10 de outubro, data-chave para a campanha 10:10:10

É possível reverter as mudanças climáticas? Segundo Julia Marton-Lefèvre, diretora-geral da União Internacional pela Conservação da Natureza – UICN, que reúne governos, ONGs e cientistas, em entrevista à IHU On-Line (http://bit.ly/bqpWNW), “o impacto das mudanças climáticas (…) se tornarão sempre mais graves se as emissões de gás de efeito estufa não forem imediatamente reduzidas”. Felizmente, afirma, “a natureza também está em condições de nos fornecer utensílios poderosos para lutar contra as mudanças climáticas”.

Talvez, um dos “utensílios” mais poderosos fornecidos pela natureza contra as mudanças climáticas seja, em primeiro lugar, o próprio ser humano. “Cabe a cada um adotar gestos ecológicos no cotidiano”, diz Marton-Lefèvre. E esse é o desafio proposto pela campanha mundial 10:10:10. A proposta é assumir o compromisso de reduzir 10% do consumo de carbono ao longo de um ano, a partir do dia 10 de outubro de 2010.

Nessa data, serão realizadas inúmeras ações concretas e de conscientização em todo o mundo, para que esse seja o dia com o maior número de ações positivas contra as mudanças climáticas da história. O foco é a redução das emissões de CO2 e um menor consumo de carbono.

A campanha é promovida pela 10:10 Global, organização fundada em 2009 por Franny Armstrong, diretora do filme-documentário A Era da Estupidez, e pela 350.org, campanha que busca soluções para a crise climática a partir de uma conscientização em torno das 350 partes por milhão de CO2, taxa que, se for superada, segundo os cientistas, acelerará ainda mais os danos causados pelo aquecimento global, que são já visíveis.

Outra grande parceria da campanha 10:10:10 é o Conselho Mundial de Igrejas, que organiza anualmente o “Tempo da Criação”, um período privilegiado para que as igrejas cristãs reflitam e rezem pela proteção do meio ambiente “como Criação divina e herança compartilhada”, nas palavras do Patriarca Ecumênico da Igreja Ortodoxa, Bartolomeu I. Neste ano, excepcionalmente, o Tempo da Criação irá encerrar no dia 10 de outubro, para se unir à campanha 10:10:10 com orações, vigílias e ações concretas. O tema deste ano – Criação florescente: Um momento para a celebração e o cuidado – também está relacionado ao Ano Internacional da Biodiversidade das Nações Unidas.

Por ocasião do Dia da Proteção do Meio Ambiente, celebrado pela Igreja Ortodoxa no dia 1º de setembro, o Patriarca Ecumênico Bartolomeu I  divulgou uma mensagem em que convoca os fiéis a “tomar parte na batalha titânica e justa para aliviar a crise ambiental e prevenir os resultados ainda piores que derivam de suas consequências. Motivemo-nos a harmonizar nossa vida e atitudes pessoais e coletivas com as necessidades dos ecossistemas da natureza, para que toda a fauna e a flora do mundo e do universo possam viver, florescer e ser preservadas”.

Dentro desse espírito ecumênico, o Instituto Humanitas Unisinos – IHU também se somou à campanha 10:10:10 e publicará diversos materiais de conscientização e reflexão sobre o Tempo da Criação, nas Notícias do Dia, nas Entrevistas do Dia, no Blog do IHU e na revista IHU On-Line, assim como irá dar passos concretos nesse sentido.

Uma iniciativa é a publicação, nas Notícias do Dia, publicadas de segunda a domingo no sítio do IHU, de reflexões sobre as principais leituras das celebrações dominicais do Lecionário Comum das Igrejas Cristãs. Entre os dias 5 de setembro  e 10 de outubro, sempre aos domingos, serão publicados textos de autoria do reverendo anglicano inglês Keith D. Innes, membro do Churches Together in Britain and Ireland (www.ctbi.org.uk), órgão ecumênico que reúne diversas Igrejas cristãs dos dois países nórdicos. Os artigos buscam incentivar e apoiar estas igrejas na observação do Tempo da Criação a partir das leituras bíblicas, para a proteção da criação de Deus e a promoção de estilos de vida sustentáveis.

As Notícias do Dia também iniciaram a publicação de uma seção chamada "Faça a sua parte" como mais um gesto concreto de participar da campanha 10.10.10 e do Tempo da Criação.

O IHU também está divulgando e participando da campanha do Dia sem Carro, no dia 22 de setembro.

Além disso, no Blog do IHU, também serão disponibilizados subsídios para uma semana de oração pela Criação, entre os dias 4 e 10 de outubro. Preparados pela pastora valdense italiana Letizia Tomassone, vice-presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália – FCEI, os momentos de oração, de segunda-feira a domingo, são compostos por uma leitura bíblica, informações científicas sobre a ecologia e a Criação, gestos concretos que podem ser feitos no dia a dia para preservar a natureza e uma oração final.

Para dar um pontapé inicial nos gestos concretos em torno da proteção da Criação, buscando a meta proposta pela campanha 10:10:10, publicamos aqui 20 medidas simples e inteligentes que podem ser realizadas em nosso cotidiano para ajudar o meio ambiente e reduzir o nosso consumo de carbono e emissão de CO2. As sugestões também são de autoria da pastora Letizia Tomassone.

1. Faça de conta que as sacolas plásticas não existem: use bolsas e sacolas de algodão para carregar compras.
2. Consuma produtos locais: o transporte de produtos que vêm de longe consome petróleo e aumenta o efeito estufa.
3. Diminua a temperatura de geladeiras, ar condicionados e estufas no inverno e aumente no verão: assim, você vive melhor e polui menos.
4. Use melhor os eletrodomésticos: desligue o computador e a televisão quando não são utilizados. O modo stand-by consome energia e, portanto, polui.
5. Pegue sol. Como? Com painéis solares.
6. Troque (se puder) de carro; prefira os movidos a gás ou etanol. E, principalmente, use-os o menos possível.
7. Fique com os pés no chão: os aviões provocam 10% do efeito estufa mundial.
8. Coma frutas e verduras (se orgânicas, melhor): carne de ovinos e carne de bovinos são responsáveis por 18% das emissões mundiais de gás carbônico, além de favorecer o desmatamento devido à sua exploração intensiva.
9. Use fraldas ecocompatíveis: a biodegradação das fraldas tradicionais leva 500 anos.
10. Para conservar os alimentos, use vidro e não alumínio ou plástico: estes poluem e, para a sua produção, o desperdício energético é enorme.
11. Informe-se com inteligência: existem centenas de sítios, revistas e canais de TV que falam sobre meio ambiente e desenvolvimento sustentável.
12. Não use papel: utilize a tecnologia digital para enviar e receber documentos e para se informar. Assim, você salva árvores e não polui com o transporte.
13. Escove os dentes, mas com inteligência: se deixar a torneira aberta, você joga fora 30 litros de água. Abra a torneira só quando for preciso.
14. Use lâmpadas econômicas: consomem cinco vezes menos e duram 10 vezes mais.
15. Coma de forma sadia, prefira o orgânico: é um método de cultivo que respeita o meio ambiente.
16. Coma com consciência: os hambúrgueres são bons, mas, para serem produzidos, destroem florestas inteiras. Pense nisso.
17. Um banho é bom se dura pouco: em três minutos, você consome 40 litros d'água. Em 10 minutos, mais de 130 litros.
18. Pense sempre que todo objeto que você usa irá se tornar lixo: faça com que ele dure o máximo possível.
19. Usar e jogar fora? Não, obrigado. Por exemplo, use pilhas recarregáveis: podem ser recarregadas até 500 vezes.
20. Faça a coleta seletiva: é a contribuição mais inteligente e mais importante que você pode dar ao meio ambiente.

Últimas edições

  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição
  • Edição 543

    Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

    Ver edição