Edição 544 | 04 Novembro 2019

Destaques On-Line

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Confira algumas entrevistas publicadas no sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU na última semana

Óleo no litoral brasileiro e os royalties do pré-sal: Brasil não está preparado para gerir um plano de contingência

“Todas as condicionantes ambientais de ventos e correntes, caso houvesse um vazamento lá [na Venezuela], não trariam o óleo para o Brasil, muito menos para o Nordeste”.

David Zee, professor adjunto da Faculdade de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.

Novo Regime Climático requer o abandono da excepcionalidade humana

“O clima, a atmosfera, os oceanos e mesmo as rochas não são obra apenas da geologia; são também produto da agência dos seres vivos sobre eles”.

Alyne de Castro Costa, mestra e doutora em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio.

Bens e serviços públicos são os novos ativos financeiros

“Nos anos 2000, aconteceu no Brasil algo que estava ocorrendo no mundo e na América Latina em geral, que é um processo acelerado de financeirização da economia brasileira”.

Denise Lobato Gentil, doutora em Economia pelo Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, onde atualmente é professora.

Chile. A insurreição popular vem do subterrâneo e perfura a máquina violenta e neoliberal

“A “estabilidade” foi o discurso usado pela oligarquia que, em termos freudianos, terminou por matar Pinochet ao preço de reproduzi-lo em forma “democrática””.

Rodrigo Karmy Bolton é doutor em Filosofia pela Universidade do Chile, onde leciona e é pesquisador do Centro de Estudos Árabes da Faculdade de Filosofia e Humanidades.

"O interesse em construir hidrelétricas em vez de investir em alternativas é a grande quantidade de dinheiro que pode ser ganho nas obras"

“Os níveis baixíssimos de oxigênio na água saindo do reservatório, medidos pela Politec (o órgão oficial para tais medidas), indicam uma falta de oxigênio mais do que suficiente para matar os peixes”.

Philip M. Fearnside, doutor pelo Departamento de Ecologia e Biologia Evolucionária da Universidade de Michigan, EUA, e pesquisador titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - Inpa, em Manaus.

Últimas edições

  • Edição 545

    Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

    Ver edição
  • Edição 544

    Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

    Ver edição
  • Edição 543

    Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

    Ver edição