Edição 534 | 15 Abril 2019

Destaques On-Line

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Confira algumas das entrevistas publicadas no sítio do Instituto Humanitas Unisinos – IHU nas últimas semanas.

"'Comprar' a agenda internacional dos EUA é uma das iniciativas mais despropositadas e contrárias ao interesse nacional que se pode imaginar"

“A política de Bolsonaro privilegia, como se afirma no discurso de posse de Araújo (um dos raros trechos pertinentes), os EUA de Trump, Israel de Netanyahu, a “nova” Itália de Salvini, a Hungria de Orban e a Polônia”, Rubens Ricupero, diplomata, foi assessor internacional do presidente Tancredo Neves (1984/1985), assessor especial do presidente da República José Sarney (1985/1987), representante permanente do Brasil junto aos órgãos da ONU sediados em Genebra (1987-1991) e embaixador nos Estados Unidos (1991-1993).

A crise sistêmica e a ascensão chinesa

“O capitalismo é que foi enquadrado por um projeto chinês de desenvolvimento de mercado no longo prazo”, Bruno Hendler, professor substituto do curso de Relações Internacionais da Universidade Federal de Goiás – UFG.

O retorno da indústria da loucura

“A nota técnica 11/2019 do Ministério da Saúde propõe o oposto do que a Reforma Psiquiátrica brasileira vem há 40 anos instituindo no país”, Maria de Fátima Bueno Fischer, professora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos e psicóloga da Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul.

Revolução 4.0: “Não encontraremos na história momentos de forte correlação com o que viveremos”

“Os trabalhadores do conhecimento hoje se dispõem a jornadas de trabalho que não são as ideais, e temos uma distribuição das horas úteis da vida de um profissional excessivamente dedicadas ao trabalho corporativo”, João Roncati, diretor da People+Strategy Consultoria Empresarial, mestre em Planejamento Estratégico pela Universidade de São Paulo – USP.

Neoconservadores e neoliberais disputam o comando do governo Bolsonaro

“Ou encontramos uma saída organizatória (digo, em termos de uma “frente”, já seria bastante), ou estamos perdidos. Mas isso só se fará, insisto, reformulando as bandeiras da esquerda”, Ruy Fausto, graduado em Filosofia e em Direito pela pela Universidade de São Paulo - USP e doutor em Filosofia pela Université Paris 1 Pantheon-Sorbonne, professor titular da USP.

Últimas edições

  • Edição 536

    Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

    Ver edição
  • Edição 535

    No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

    Ver edição
  • Edição 534

    Etty Hillesum - A resistência alegre contra o mal

    Ver edição