Edição 504 | 08 Maio 2017

Ubuntu como ética africana, humanista e inclusiva

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

O Cadernos IHU Ideias número 254 traz o artigo Ubuntu como ética africana, humanista e inclusiva, assinado por Jean-Bosco Kakozi Kashindi. O texto demonstra que ubuntu é a pedra angular da ética africana, que é biocêntrica, ou seja, centrada na vida. Os povos africanos, em geral, têm uma forma particular de viver e expressar o mundo que os caracteriza, os determina e os diferencia de outras povoações. Essa forma é sua visão de mundo é ubuntu. E a partir daí, todo o edifício ético-filosófico africano é construído. Chega-se a tal construção partindo da ideia de humanidade, delimitada pelo termo ubuntu. Em termos gerais, ubuntu significa, por um lado, a humanidade que é vivenciada e realizada com os outros, e, por outro, a humanidade como valor.

Kashindi é natural da República do Congo, onde se graduou em Filosofia. Especializou-se em Religião, no Centre de Formation Missionnaire Notre Dame d’Afrique, na cidade de Bukavu (República Democrática do Congo). Mestre e doutor em Estudos Latino-americanos pela Universidade Nacional Autônoma do México – UNAM.

Esta e outras edições do Cadernos IHU ideias podem ser obtidas diretamente no Instituto Humanitas Unisinos – IHU, no campus São Leopoldo da Unisinos (Av. Unisinos, 950), ou solicitadas pelo endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Informações pelo telefone (51) 3590-8213.


Últimas edições

  • Edição 507

    Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

    Ver edição
  • Edição 506

    Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

    Ver edição
  • Edição 505

    Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

    Ver edição